Sebrae lança plataforma grátis para criar loja online

Respaldados pelo crescimento e pelos resultados financeiros dos sites de comércio eletrônico no Brasil, o Sebrae e o Grupo MercadoLivre lançam nesta terça-feira uma ferramenta para construção de lojas virtuais para micro e pequenos empreendedores.

AE, Agencia Estado

28 de agosto de 2012 | 10h34

Batizada como Primeiro E-commerce (www.primeiroecommerce.com.br), a plataforma vai permitir que qualquer empresário tire do papel seu projeto virtual, às vezes engavetado pelos custos da operação e também pela falta de conhecimento sobre a área.

O acesso e o processo de criação da página virtual são gratuitos. No entanto, a cada venda concretizada serão cobrados 4,99% sobre o valor pago pelo cliente final. O montante é referente aos custos das transações financeiras, que são chancelados pelo MercadoPago, plataforma de pagamento pela internet do MercadoLivre.

?A experiência de abrir a loja vai ser mais ou menos como montar um perfil em uma rede social. O tempo de criação vai depender do número de fotos e do tipo de informação que a pessoa vai inserir ali?, afirmou Helisson Lemos, diretor geral do MercadoLivre no Brasil.

Segundo Luiz Barretto, presidente do Sebrae, a expectativa é de que nos primeiros 12 meses pelo menos 3 mil negócios tradicionais lancem versões online por meio da plataforma. ?Nos últimos anos, esse mercado no Brasil vem crescendo na casa dos 20%, segundo pesquisas que realizamos. O e-commerce registrou R$ 14 bilhões em 2010, chegou a R$ 18,7 bilhões no ano passado e, para 2012, a gente espera R$ 23 bilhões?, afirmou.

Além da estrutura para vender, a plataforma oferece um canal de vídeos com informações, capacitação e dicas sobre o setor. ?São cursos que explicam o bê-á-bá do comércio eletrônico. De gestão à operação, passando por gerenciamento financeiro, marketing e comunicação?, disse Lemos, do MercadoLivre. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
Sebraeloja onlinelançamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.