S&P 500 fecha em máxima de 4 meses por Merkel e Cisco

O índice S&P 500 fechou em seu nível mais alto em mais de quatro meses nesta quinta-feira, devido a sinais de apoio alemão aos esforços do Banco Central Europeu (BCE) para conter a crise da dívida da região e após o papel da Cisco liderar os ganhos do setor tecnológico após a companhia elevar o valor de seu dividendo.

Reuters

16 de agosto de 2012 | 18h15

O índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, avançou 0,65 por cento, para 13.250 pontos. O índice Standard & Poor's 500 teve valorização de 0,71 por cento, para 1.415 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq subiu 1,04 por cento, para 3.062 pontos.

O Nasdaq sobressaiu após a ação da Cisco disparar quase 10 por cento e o papel da Apple atingir uma nova máxima de fechamento, a 636,34 dólares.

Além disso, ganhos na maioria dos setores do S&P 500 compensaram projeções fracas do Wal-Mart. O avanço desta quinta-feira no indicador foi o primeiro movimento significativo desde um ganho de 2 por cento em 3 de agosto. Desde então, o S&P 500 se moveu principalmente em território positivo, mas lentamente e com variações reduzidas.

"Acredito que o maior estímulo hoje foi o fato de as pessoas perceberem que a tendência atual é, realmente, positiva. Enfrentamos resistência, mas, por mais de uma semana, avançamos lentamente para cima sem um recuo considerável. É isso que está atraindo investidores, embora o volume continue baixo", disse o analista de mercados do Wellington Shields & Co. em Nova York Frank Gretz.

"Porque ninguém está esperando nada de bom, é fácil avançar por conta de qualquer notícia", completou.

Merkel disse que a promessa do presidente do BCE, Mario Draghi, de fazer todo o possível para proteger o euro está completamente de acordo com o que líderes europeus têm dito.

Alguns investidores tomaram isso como um sinal de que a Alemanha pode estar mais próxima de apoiar compras de títulos da dívida soberana de nações europeias em dificuldade, como Espanha e Itália.

(Reportagem de Angela Moon)

Tudo o que sabemos sobre:
WALLSTFECHA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.