Serviços de nuvem Red Hat oferecem agilidade, segurança e flexibilidade para as empresas
Conteúdo Patrocinado

Serviços de nuvem Red Hat oferecem agilidade, segurança e flexibilidade para as empresas

Por meio de uma plataforma completa, empresa permite uma experiência otimizada em ambientes de nuvem híbrida aberta

Red Hat, Estadão Blue Studio
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

05 de abril de 2022 | 08h00

A jornada de uma empresa para a nuvem não deve – nem pode – ser complexa. Para se valer da grande flexibilidade da cloud e usá-la como um ambiente propício para desenvolver aplicativos de negócios funcionais e flexíveis, como e onde quiserem, os desenvolvedores e companhias querem passar longe da complexidade; desejam, sim, contar com processos fáceis e cômodos, bem gerenciados e seguros.

Querem, se for necessário, contar não com apenas uma, mas com várias nuvens, em várias localizações, com a liberdade de mover suas aplicações de uma para outra. Criar oportunidades para se manter relevante no mercado e se destacar da concorrência, portanto, tem que ser um processo suave e o menos complicado possível. A tecnologia não pode brigar com a inovação. Precisa, sim, apoiá-la.

É precisamente para isso que o Red Hat Managed Cloud Services oferece um leque de serviços e funcionalidades, atuando como um poderoso apoio da disrupção nos negócios com soluções baseadas em nuvem. A plataforma, que conta com a expertise da Red Hat, líder global no fornecimento de soluções open source, é adaptável sob medida para as companhias que estão na jornada de construir e implantar aplicações de negócios estratégicos.

O ecossistema oferece serviços administrados de plataforma na nuvem, dados e aplicações hospedadas/gerenciadas. Dessa forma, os times de desenvolvimento podem focar no que realmente importa – a criação e os testes –, sem se preocupar com questões envolvendo a estrutura.

Todo o conceito é baseado em quatro pilares principais, de acordo com Juan Carlos Cepeda, arquiteto de Soluções especialista em OpenShift na Red Hat para a América Latina. O primeiro, e um dos principais, explica ele, é reduzir a complexidade e oferecer a disponibilidade em níveis praticamente totais, de forma ininterrupta, consistente e responsável.

“O Red Hat Managed Cloud Services oferece uma infraestrutura totalmente administrada com um acordo de nível de serviços (SLA) de 99,95% de disponibilidade e operações diárias respaldadas por suporte de Engenharia de Confiabilidade de Sites (SRE) de especialistas 24 horas por dia, 7 dias por semana, para que as equipes possam simplificar as operações e concentrar os recursos para fazer com que os negócios cresçam”, destaca o especialista.

Dessa forma, as equipes de DevSecOps ficam totalmente liberadas da gestão contínua dos serviços de cloud, tanto da estrutura quanto de ferramentas. “Passam, portanto, a estar com um olhar totalmente livre para o negócio”, pontua Cepeda. Este é o segundo pilar: foco no core do negócio, a partir do desenvolvimento de novas soluções.

O uso de diferentes nuvens e localizações, de hospedagem e acesso de dados é a terceira base da solução, de acordo com o especialista. “Isso dá aos desenvolvedores o poder de implementar, desenvolver e testar aplicações mais rapidamente e em escala, continuamente, em qualquer situação e local.” Já o quarto pilar é justamente o de flexibilidade, com o uso de nuvem híbrida, no desenvolvimento de aplicações nativas a esses ambientes.

De acordo com Cepeda, isso é possível porque o Red Hat Cloud Services trabalha com diferentes provedores (Microsoft, AWS, IBM, entre outros), integrando-os por meio do Red Hat OpenShift (plataforma de desenvolvimento e implantação de aplicativos), tornando todo o processo confiável e bastante seguro.

Essa agregação é organizada por meio de kubernetes, um sistema pelo qual cada aplicação e os arquivos que ela requer para funcionar, os chamados containers, podem ser perfeitamente integrados, geridos e executados.

“Essa experiência, bastante consistente, é orquestrada pela plataforma da Red Hat, também líder em kubernetes empresariais”, afirma o especialista. “Ao implementar uma plataforma de containers completa, é preciso acoplar muitos projetos de código aberto, componentes de terceiros, ou camadas de serviços, o que gera um grande esforço de integração”, relaciona.

Aumentar a eficiência dessas operações de forma automatizada – sem sacrificar a segurança ou a estabilidade, e acelerando a produtividade do desenvolvedor ao incluir o suporte e as operações, o monitoramento, os serviços e as ferramentas para o desenvolvimento dos aplicativos que fazem toda a diferença para os negócios – é, finaliza Cepeda, o grande diferencial do ecossistema Red Hat.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.