Setor público acumula superávit de R$ 64,8 bilhões no ano até maio

Economia no mês foi de R$ 7,5 bi; em 12 meses, superávit equivale a 3,29% do PIB, acima da meta do governo

Fábio Graner e Renata Veríssimo, da Agência Estado,

30 de junho de 2011 | 10h52

O superávit primário do setor público consolidado totalizou em maio R$ 7,506 bilhões segundo dados divulgados há pouco pelo Banco Central. O resultado ficou dentro das estimativas dos analistas consultados pelo AE Projeções, que previam um valor de R$ 6,100 bilhões a R$ 8,200 bilhões, e superou a mediana, que era de R$ 7,050 bilhões.

O Governo Central realizou um superávit de R$ 4,452 bilhões. Os governos regionais realizaram um superávit de R$ 2,776 bilhões, sendo que houve superávit de R$ 2,615 bilhões nos Estados e superávit de R$ 161 milhões nos municípios. As empresas estatais registraram um superávit em maio de R$ 278 milhões, sendo que a maior contribuição foi das empresas estatais estaduais, que totalizou R$ 231 milhões.

No acumulado de janeiro a maio, o superávit do setor público consolidado foi de R$ 64,820 bilhões o que corresponde a 4,03% do PIB - no mesmo período de 2010, o superávit primário era de R$ 39,877 bilhões, o correspondente a 2,78% do PIB. O Governo Central realizou no período uma economia de R$ 45,685 bilhões, enquanto os governos regionais realizaram superávit de R$ 19,046 bilhões e as empresas estatais, de R$ 88 milhões.

No acumulado dos últimos 12 meses, encerrados em maio, o superávit do setor público consolidado subiu para R$ 126,639 bilhões, o que equivale a 3,29% do PIB. O valor continua acima da meta prevista para 2011, que é de R$ 117,9 bilhões.

Déficit nominal

O setor público registrou em maio déficit nominal de R$ 14,669 bilhões. Em maio do ano passado, o saldo nominal foi negativo em R$ 15,855 bilhões.

O déficit nominal do setor público consolidado em maio é o melhor resultado para o mês desde 2009, segundo informou o diretor do Departamento Econômico do Banco Central, Túlio Maciel. Apesar disso, o BC revisou a previsão de déficit nominal para 2011, aumentando de 1,9% para 2,5% do PIB. O resultado significa uma estabilidade em relação a 2010, quando o déficit nominal correspondeu 2,55% do PIB. No acumulado em 12 meses, encerrados em maio de 2011, o déficit nominal representa 2,42% do PIB. 

Para o resultado do mês passado, o governo central contribuiu com saldo negativo de R$ 12,957 bilhões, enquanto governos regionais tiveram déficits de R$ 1,796 bilhão e as empresas estatais, superávit nominal de R$ 85 milhões.

No acumulado de janeiro a maio, o setor público registra déficit nominal de R$ 35,940 bilhões, o correspondente a 2,24% do PIB. Em igual período do ano passado, as despesas, incluindo juros, superaram as receitas do setor público em R$ 36,484 bilhões ou 2,55% do PIB.

No resultado deste ano, o governo central apresentou déficit nominal de R$ 27,006 bilhões (1,68% do PIB), os governos regionais, déficit de R$ 7,649 bilhões (0,48% do PIB) e as estatais, saldo negativo de R$ 1,285 bilhão (0,08% do PIB).

No acumulado em 12 meses encerrados em maio, o setor público tem déficit nominal de R$ 93,129 bilhões (2,42% do PIB). Até abril, o acumulado em 12 meses apresentava déficit de R$ 94,315 bilhões (2,47% do PIB).

O governo central, nos 12 meses encerrados em maio, apresentou déficit de R$ 45,858 bilhões (1,19% do PIB); os governos regionais, déficit de R$ 45,497 bilhões (1,18% do PIB) e as estatais, déficit de R$ 1,774 bilhão (0,05% do PIB).  

Os gastos do setor público com o pagamento de juros totalizaram, no mês de maio R$ 22,175 bilhões. No acumulado do ano, o valor atingiu R$ 100,760 bilhões, o que equivale a 6,57% do Produto Interno Bruto (PIB). No acumulado em 12 meses, os juros nominais totalizam R$ 219,768 bilhões, 5,71% do PIB.

Tudo o que sabemos sobre:
setor públicosuperávitdéficit

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.