Siderurgia deve se recuperar no ano; consumo de aço irá subir--LCA

O setor de siderurgia deverá mostrar alguma recuperação até o fim deste ano, com o consumo de aços longos e planos encerrando 2012 com aumentos na comparação com o ano anterior, segundo uma pesquisa da consultoria LCA.

Reuters

26 de setembro de 2012 | 15h28

A estimativa é de que o consumo de aços longos fique em 11,3 milhões de toneladas, alta de 5 por cento ante 2011. Já para os aços planos, a LCA estima um consumo de 13,7 milhões de toneladas, um aumento de 1,2 por cento.

"Essa avaliação se apoia na previsão de que a economia interna reagirá com maior ímpeto às medidas lançadas pelo governo visando estimular o consumo e o investimento e melhorar a competitividade da indústria", afirma a consultoria, em relatório.

No acumulado do ano até agosto, a média mensal do consumo aparente de aços planos está em 1,13 milhão de toneladas, queda de 2,0 por cento na comparação anual, enquanto de aços longos a média mensal até agosto registra alta de 5,8 por cento.

MINÉRIO DE FERRO

Porém, para o setor de mineração as perspectivas da LCA para o ano não são positivas. "O cenário para o setor segue adverso. Avaliamos que a demanda por minério de ferro continuará limitada e que os preços da commodity seguirão negativamente pressionados", informa a consultoria.

A estimativa é de que a extração de minério de ferro recuará 1 por cento em 2012 e que a cotação média do minério de ferro será de 125 dólares por tonelada em 2012, uma queda de 25 por cento ante 2011.

"Essa expectativa se baseia na previsão de que o desempenho da economia global seguirá fraco no restante de 2012. O quadro recessivo prevalecerá na Europa, a China continuará adotando medidas para evitar uma desaceleração mais forte e os EUA crescerão abaixo do seu potencial."

(Por Roberta Vilas Boas)

Tudo o que sabemos sobre:
SIDERURGIAPERSPECTIVASLCA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.