Siderúrgicas do norte da China podem cortar produção

Segundo reportagem de um jornal estatal chinês, algumas companhias planejam cortar aprodução em junho, em razão das perspectivas sombrias para os preços doaço

Clarissa Mangueira, da Agência Estado,

28 de maio de 2010 | 10h48

Algumas siderúrgicas no norte da China estão planejando cortar a produção em junho, em razão das perspectivas sombrias para os preços do aço. Esses cortes podem colocar ainda mais pressão de baixa sobre os preços do minério de ferro, afirmaram traders, que trabalham para empresas de trading de aço que operam no mercado físico.

"Eu voltei de Tangshan ontem. Algumas siderúrgicas planejam realmente cortar a produção, devido à manutenção das instalações em junho", disse um gerente de uma das maiores empresas de trading de aço, baseada em Pequim. "Alguns dizem que a manutenção é periódica, mas quem sabe? Em uma palavra, a produção de aço vai diminuir."

O volume da capacidade de produção que será afetada pelos cortes não foi esclarecido, disse o executivo.

 

Uma reportagem do jornal estatal China Securities afirmou que 19 usinas siderúrgicas no norte da China planejam interromper ou cortar a produção, incluindo algumas empresas de médio porte, como a Hebei Jinxi Steel Stock e a Tangshan Guofeng Iron and Steel.

Um funcionário do Hebei Iron and Steel Group disse que ele não tinha ouvido nada na companhia sobre tais planos para cortar a produção.

 

"Muitas versões estão se espalhando agora. Alguns dizem que as usinas cortarão 10% da produção mensal, enquanto outros afirmam que será cortado 20%", declarou um trader de Pequim. Segundo ele, a maioria das empresas é de pequeno porte.

Liu Bin, um analista da empresa de pesquisa Mysteel, disse que algumas usinas pequenas começaram a reduzir a produção no final de abril, e a taxa operacional das relaminadoras de aço no norte da China é menor do que 50% agora.

As siderúrgicas chinesas começaram a cortar os preços no final de maio depois de sete meses de aumentos em razão do crescimento dos estoques e dos prováveis efeitos das medidas do governo chinês para conter a especulação imobiliária sobre a demanda por aço.

Enquanto isso, o sentimento sombrio na indústria siderúrgica afetou o mercado à vista do minério de ferro. O minério de ferro indiano do mercado à vista, com grau de 63%, foi ofertado em torno de US$ 145,00 por tonelada nos maiores portos da China nesta sexta-feira, queda de cerca de 25% em relação às máximas quase recordes no final de abril.

"Todos os traders que eu conheço acreditam que o preço do minério de ferro no mercado à vista recuarão para US$ 130,00 por tonelada no terceiro trimestre", disse um trader em Pequim.

Várias semanas atrás, a Hebei Iron & Steel e a Shagang Group fixaram o preço do minério de ferro em US$ 135,00 por tonelada, através de swaps de minério de ferro na Bolsa de Valores de Cingapura, afirmou uma pessoa com conhecimento direto dos negócios. "Isso mostra como a indústria vê a tendência do preço", afirmou a pessoa, sem revelar o volume dos acordos de swaps.

A Hebei Iron e a Shagang Group se recusaram a comentar o assunto.

As informações são da Dow Jones. 

Tudo o que sabemos sobre:
siderurgiaaçoprodução

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.