Siemens teria fatia em união de negócio de trens da Alstom, diz executivo

O grupo de engenharia alemão Siemens manteria uma participação minoritária em qualquer negócio de produção de trens da Alstom se seu plano de comprar a unidade de turbinas de energia da empresa francesa tiver sucesso, disse o chefe da Siemens na França a um jornal do país.

Reuters

05 de junho de 2014 | 08h34

Reiterando que a Siemens está sendo "séria" em fazer uma contra-proposta à oferta da norte-americana General Electric, Christophe de Maistre disse ao Le Parisien que a empresa também está disposta a discutir as atividades de sinalização ferroviária.

Fontes disseram à Reuters em maio que o plano da rival Siemens de comprar a divisão de energia da Alstom daria a empresa francesa seus negócios de trens junto com uma quantia em dinheiro ainda a ser determinada, criando um grupo maior de transporte TGV em trens de alta velocidade.

Esse negócio seria majoritariamente detido pela França e teria sua sede no país, disseram as fontes.

Em sinalização ferroviária, a Siemens poderia comprar os negócios da Alstom, mas definiria a sede da unidade na França, disseram as fontes.

A GE ofereceu 12,35 bilhões de euros (16,8 bilhões de dólares) pela unidade de energia da Alstom em abril, levando a Siemens a iniciar uma oferta rival e o governo francês a aprovar um decreto ampliando seu poder para bloquear acordos em setores estratégicos da indústria.

Nas últimas semanas, tem ocorrido uma série de discussões entre o governo francês e as três empresas, com o ministro da Economia Arnaud Montebourg e o presidente da França François Hollande tentando assegurar concessões sobre empregos e localização de empresas.

(Por Andrew Callus e Cyril Altemeyer)

Tudo o que sabemos sobre:
EMPRESASSIEMENSALSTOM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.