Sinal de internet 3G ainda é raro nas estradas do País

O sinal de telefonia 3G no Brasil está disponível apenas nos grandes centros urbanos e, quando é encontrado fora dessas regiões, a conexão tem velocidade baixa. A constatação é de uma pesquisa da associação de consumidores Proteste que percorreu 5 mil quilômetros de estradas em 12 Estados para medir o sinal 3G.

FILIPE SERRANO, Agencia Estado

30 de julho de 2013 | 09h33

Segundo a associação, nenhuma das grandes operadoras (Claro, Oi, TIM e Vivo) cobre mais de 51% das regiões percorridas com 3G. A Região Sul é a que teve a pior cobertura e a Claro foi a pior entre as empresas avaliadas. O sinal da operadora estava indisponível em 57% dos locais testados. As medições da associação foram feitas em pontos das cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, e em 13 trechos de estrada nas Regiões Sul, Sudeste e Nordeste. ?O resultado é muito ruim para todas as operadoras. Há muitas regiões sem cobertura e com cobertura de baixa qualidade?, afirma a associação.

Investimentos

Em comunicado, a Claro disse que a rede 3G está presente ?nas principais rodovias do País? e que tem cobertura 2G ?na maior parte da malha viária brasileira?. A empresa diz que planeja investir R$ 6,3 bilhões em infraestrutura e que ?parte do investimento? será destinada à cobertura nas estradas.

A TIM afirmou que 90% do investimento previsto de R$ 10,7 bilhões até 2015 será utilizado na infraestrutura. Segundo a operadora, 749 cidades tinham cobertura 3G no primeiro trimestre (72% da população urbana). Até o fim do ano, 990 municípios deverão ser atendidos. A Oi também ressaltou seus investimentos na rede e diz que sua cobertura aumentou 155% em 2012. Procurada pela reportagem, a Vivo não se pronunciou. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
internet3G@estadaoconteudo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.