Sindicato fala em mais 60 demissões na OSX

Aproximadamente mais 60 demissões ocorrerão na OSX, de acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil e do Mobiliário no Estado do Rio de Janeiro (Sticoncimo-RJ), José Carlos Eulálio. A empresa de construção naval e offshore do grupo controlado pelo empresário Eike Batista, a OSX demitiu 80 trabalhadores da obra do Superporto do Açu, em São João da Barra, no norte fluminense, na última sexta-feira, 12.

SERGIO TORRES, Agencia Estado

15 de abril de 2013 | 18h25

Em entrevista nesta segunda-feira, 15, o líder sindical disse que a OSX relatou à entidade que haverá mais demissões. A empresa do grupo X não confirma, mas informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que "o processo de reestruturação" iniciado com as demissões continuará nos próximos dias.

Eulálio afirmou que pretende recorrer ao Ministério Público do Trabalho para cancelar judicialmente as demissões. Ele disse que, no total, serão 140 demitidos em um universo de 400 operários contratados pela OSX para a construção do porto.

"Estamos aguardando apenas a comunicação oficial da empresa e a exposição dos motivos para irmos ao Ministério Público. As atividades do estaleiro continuam normalmente. A empresa não pode alegar término de contrato ou de tarefas", disse o presidente, acrescentando que as demissões atingiram, principalmente, os operários do setor de produção de montagem industrial. "Agora, as demissões devem mesclar com pessoal administrativo", estimou Eulálio.

Tudo o que sabemos sobre:
OSXdemissões

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.