Hélvio Romero/Estadão
Hélvio Romero/Estadão

Situação da OGX causou problema à imagem do País, diz Mantega

'Não é o governo que vai fazer alguma coisa. Espero que consigam estancar essa sangria', afirmou o ministro

Francisco Carlos de Assis, Beatriz Bulla e Renan Carreira, da Agência Estado,

30 de setembro de 2013 | 13h15

SÃO PAULO - Após o 10º Fórum de Economia, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse a jornalistas, ao ser indagado sobre a situação da OGX, que a solução que será encontrada é uma solução de mercado. "Não é o governo que vai fazer alguma coisa. Espero que consigam estancar essa sangria", disse. "A situação da OGX já causou um problema para a imagem do País e para a Bolsa de valores que teve uma deterioração, não agora, mas teve uns 10% de queda em função dessas empresas."

O ministro também afirmou que se o Congresso norte-americano exigir que o governo Obama corte despesas, isso terá um "impacto mundial" e pode prejudicar o crescimento da economia dos Estados Unidos. "Atrapalha sim", disse, questionado se isso terá algum efeito para o Brasil. "Para nós seria melhor que não houvesse essa limitação e que o governo americano estivesse fazendo não só política monetária, mas também política fiscal expansionista", completou.

"Nós gostaríamos que não houvesse limitação e que o ajuste fiscal se desse no longo prazo, no médio prazo." Mantega disse também que independentemente das previsões, o governo brasileiro "está trabalhando o tempo todo" para que a inflação caia. "O BC faz sua parte, a Fazenda faz também outra parte reduzindo custos da economia, como nós temos feito, de modo a ajudar a queda", disse. Questionado sobre o reajuste de preços da Petrobras, Mantega afirmou que "existe uma política de preços e ela está mantida até segunda ordem". "É ela que está valendo no momento", completou, afirmando que não há "nenhum detalhamento" sobre o reajuste.

Calote?

O diretor de política econômica do Banco Central, Carlos Hamilton, minimizou o impacto de um possível calote das empresas X, de Eike Batista, sobre o sistema financeiro nacional. "Não tende a ter muito impacto em nenhum mercado, pois já é esperado...", considerou. Ele ressaltou que o sistema financeiro doméstico é "bastante sólido e bem capitalizado". Hamilton comentou ainda que todos os indicadores das instituições financeiras foram apresentados na semana passada por meio do Relatório de Estabilidade Financeira (REF).

Mais conteúdo sobre:
OGXMantega

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.