Soja: com portos parados, produtor e indústria negociam

São Paulo, 11 - O mercado interno de soja viveu mais uma semana sem muitos acontecimentos, com poucos negócios e preços sob pressão. Chicago acumulou perdas na semana passada, e o câmbio também segue desfavorável. O dólar caiu 0,77% na sexta-feira, a R$ 2,8290, acumulando perda de 1,08% em outubro e de 2,55% no ano. Nas praças do Sul do Brasil a indicação genérica e nominal de compra continua em torno de R$ 34,50/saca FOB, para menos segundo alguns corretores. A exceção ficou por conta de compras de trading no interior do Rio Grande do Sul a R$ 36,00/saca FOB, no meio da semana, para esmagamento local. Em Mato Grosso duas tradings estiveram mais agressivas durante a semana passada, disputando o grão entre si e com indústrias locais. Na sexta-feira a indicação de compra ficou em R$ 30,00/saca no disponível de Lucas do Rio Verde, R$ 31,50 em Cuiabá e R$ 32,00 em Rondonópolis. O mercado exportador está muito parado, com idéias de compra no transferido de Paranaguá entre R$ 35,00 e R$ 36,00/saca. A paridade de exportação no porto ficou, na sexta, em US$ 11,62/saca, considerando prêmio de -10 no abril. Os negócios em Rio Grande também escassearam na semana passada. O mercado de prêmios para exportação esteve bastante parado na semana passada, com modesta retomada na quinta e sexta-feiras. Na sexta 12 mil toneladas do grão teriam sido negociadas a -5 no abril/maio (6 mil/t/mês), e 2 mil toneladas a +60 no spot. No farelo ocorreram trocas com 10 mil toneladas de +1,5 no novembro para -1,5 no janeiro/fevereiro (5 mil/t/mês). Na terça-feira 5 a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) informou que é fraco o registro antecipado de exportações para a safra nova, em volume similar ao de 2000/01. A avaliação da entidade é de que a perspectiva é de mercado internacional ofertado em 2005, o que inibe os negócios antecipados. Os produtores de soja continuam aguardando uma ação do governo para "legalizar" o plantio de variedades transgênicas em 2004/05. Enquanto isso, diretores de cooperativas gaúchas viajam à China para estreitar relações com importadores. O embarque para Pequim foi sábado. As perspectivas não são animadoras para esta semana, a menos que o USDA surpreenda o mercado em seu relatório mensal esperado para amanhã, o que é improvável. Confira a evolução dos preços nas principais praças brasileiras, conforme apuração do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da USP (Cepea): =========================================================PRAÇA Preço (R$/sc) Variação (%)=========================================================01/out 07/out 08/out Dia Semana---------------------------------------------------------Oeste PR 35,00 34,58 34,50 -0,23 -1,43Norte PR 35,33 34,25 33,76 -1,43 -4,44Ijuí 35,67 35,50 35,38 -0,34 -0,81Sorriso 28,78 27,50 27,00 -1,82 -6,18Mogiana 37,00 37,00 37,00 0,00 0,00Passo Fundo 35,42 35,20 35,36 0,45 -0,17Ponta Grossa 34,81 34,42 34,40 -0,06 -1,18Rondonópolis 32,10 31,14 31,61 1,51 -1,53Rio Verde 35,00 31,00 30,80 -0,65 -12,00Triângulo MG 35,70 34,33 34,00 -0,96 -4,76Barreiras 30,00 28,75 29,25 1,74 -2,50========================================================= (fim)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.