Soja: Rodrigues promete levar a Lula reivindicação de paranaenses

Brasília, 23 - O ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, comprometeu-se a encaminhar documento elaborado pelos produtores do Paraná ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A informação é do presidente da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep), Ágide Meneguette. Documento intitulado "A favor da soja transgênica", que reúne assinaturas de 35 mil produtores do Paraná, pede, entre outros pontos, a intervenção federal no Porto de Paranaguá. Os produtores argumentam que a proibição do governo do Estado de embarque de soja transgênica pelo Porto de Paranaguá eleva os custos para transferência dos grãos para outros portos. "O presidente precisa saber das dificuldades enfrentadas pelos setores que dependem do Porto de Paranaguá", comentou Meneguette. Ele citou que recente acidente com uma embarcação em Paranaguá indica a falta de estrutura do principal porto de escoamento do País. "A situação é grave não só para a agricultura. É preciso que o governo federal tome medidas urgentes em relação a Paranaguá", comentou. Ao deixar o ministério, onde entregou o documento a Rodrigues, o representante da Faep comentou que o ministro gostou da manifestação dos produtores. Rodrigues disse que "o abaixo-assinado reforça a crença do ministério de que os produtores paranaenses querem ter a opção de plantar soja que não seja convencional ou orgânica, inclusive transgênica". Em relação ao pleito dos agricultores paranaenses de mudanças na Medida Provisória 223, editada em 14 de outubro e que regulamentou o cultivo de soja geneticamente modificada na safra 2004/05, Rodrigues sinalizou que o assunto deve ser negociado com o Congresso Nacional. O governo, comentou o ministro, ficará "firme nos termos da MP 223". Outra proposta sugerida durante reunião com Rodrigues foi a aprovação, no plenário da Câmara dos Deputados, de projeto de decreto legislativo elaborado pelo deputado Ricardo Barros (PP-PR). A proposta do deputado, em análise na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), prevê que seja sustado por um período de 90 dias a delegação concedida pelo governo federal ao Paraná para administração do Porto de Paranaguá. "Durante esse período, seria feita uma auditoria na administração do porto e emitido um parecer", afirmou o deputado. O auditor poderia pedir, comentou, o fim da concessão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.