Soja/Cenário: futuros sofreram correção moderada ontem na CBOT

São Paulo, 25 - Os futuros da soja fecharam em baixa moderada ontem na Bolsa de Chicago (CBOT), devolvendo pequena parte dos ganhos da véspera num dia típico de consolidação do mercado. Todos os vencimentos do grão mantiveram bom avanço sobre o patamar de US$ 6,00/bushel, apesar do recuo. "O mercado apenas tomou fôlego depois do que aconteceu na segunda-feira. Não houve muito movimento, particularmente no grão", disse um trader de Chicago. O óleo fechou em alta. O analista independente Paul Bates, de Normal, Illinois, disse que o pregão aproveitou a sessão de ontem para marcar passo até que se conheça com clareza os danos causados pelo frio sobre as lavouras ao norte do Meio-Oeste dos EUA. "É muito fácil superestimar essas geadas. Talvez tenhamos feito tempestade num copo d'água", afirmou. Agrônomos de Minnesota disseram que o frio foi intenso no final de semana, com geada em algumas áreas, mas sem danos severos às lavouras de soja. A ameaça de frio acabou, segundo a meteorologia, e algumas áreas do Cinturão estarão sob o efeito de temperaturas mais elevadas e maior umidade ao longo da semana. Estes sinais de clima mais favorável pesaram sobre os futuros ontem, segundo traders. O óleo marcou a melhor performance do dia, com fechamento em alta em contraste com a queda do grão e do farelo. O produto foi valorizado por operações de spread contra o grão e o farelo, especialmente em resposta ao cancelamento de recibos por parte de empresas comerciais. O farelo tomou o rumo contrário, pressionado pelos mesmo spreads. Confira o fechamento da CBOT: --------------------------------------------------------GRÃO (US$/bushel) FARELO (US$/t) ÓLEO (cents/libra)--------------------------------------------------------Variação cents US$ pontos--------------------------------------------------------Set. 6,2000 -3,00 Set. 199,30 -5,40 Set. 24,92 +40Nov. 6,0625 -4,75 Out. 182,40 -2,60 Out. 24,19 +18Jan. 6,1225 -4,75 Dez. 181,20 -2,20 Dez. 23,52 +1Mar. 6,1800 -3,75 Jan. 182,50 -2,10 Jan. 23,36 +6Mai. 6,1925 -2,75 Mar. 185,60 -2,00 Mar. 23,23 +3Jul. 6,2250 -2,50 Mai. 187,20 -2,00 Mai. 23,02 +5-------------------------------------------------------- (João Baumer, segue) O mercado interno de soja segue com preços firmes e poucos negócios, consolidando o caráter comprador em coincidência com forte retração vendedora. O dólar recuou 0,27% ontem, cotado a R$ 2,9560 no fechamento. Nas praças do Sul do Brasil as indicações nominais de compra ficaram entre R$ 40,00 e R$ 41,00/saca FOB, com comprador a R$ 40,00 CIF em Ponta Grossa. Não houve negócio com volume nessas regiões. Em Mato Grosso o dia também foi muito calmo ontem, com ligeiro recuo nos preços. O disponível de Lucas do Rio Verde indicava de R$ 33,30 a R$ 33,50/saca, e o de Rondonópolis entre R$ 36,30 e R$ 36,50. O mercado transferido de Paranaguá teria negociado pequenos volumes ontem a R$ 44,00/saca, com comprador a R$ 44,50 para entrega imediata. A paridade de exportação no porto ficou ontem em US$ 14,80/saca, considerando prêmio de +65 no setembro. Em Rio Grande a idéia de compra ontem girava em torno de R$ 42,50/saca. Em Paranaguá algum volume da safra nova teria sido negociado ontem a US$ 13,00/saca para março. Não houve negócio reportado no mercado de prêmios para exportação. Ontem a tonelada de farelo estava cotada entre R$ 580 e R$ 590 FOB no interior do Paraná. Confira a evolução dos preços nas principais praças brasileiras, conforme apuração do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada da USP (Cepea): ===========================================PRAÇA Preço (R$/saca) Variação===========================================23/ago 24/ago (%)-------------------------------------------Oeste PR 39,95 40,45 1,25Norte PR 39,90 40,10 0,50Ijuí 39,83 39,87 0,10Sorriso 32,07 33,00 2,90Mogiana 37,00 36,50 -1,35Passo Fundo 39,80 40,63 2,09Ponta Grossa 39,56 39,75 0,48Rondonópolis 35,52 35,77 0,70Rio Verde 34,50 35,10 1,74Triângulo MG 35,67 35,50 -0,48Barreiras 31,70 31,88 0,57=========================================== (João Baumer, fim)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.