Pixabay
Pixabay

Sompo Seguros prevê crescimento de 20% e mira R$ 7 bi em prêmios até 2020

Seguradora resulta da união da empresa brasileira Marítima com a japonesa Yasuda; prêmios de seguros da companhia devem saltar de R$ 2,692 bi no ano passado para R$ 6,896 bi em 2020

Aline Bronzati, O Estado de S.Paulo

01 Julho 2016 | 11h58

A seguradora Yasuda Marítima passa a se chamar, a partir desta sexta-feira, Sompo Seguros, assumindo a marca do grupo global de origem japonesa, e planeja no Brasil crescimento anual médio de cerca de 20% até 2020. Com isso, os prêmios de seguros da companhia devem saltar de R$ 2,692 bilhões no ano passado para R$ 6,896 bilhões em 2020, segundo Francisco Caiuby Vidigal Filho, diretor-presidente da seguradora no País.

"Queremos mais do que dobrar de tamanho no Brasil. Apesar da crise e dos problemas estruturais do País, o mercado de seguros está em crescimento e há muitas oportunidades para negócios", disse Vidigal Filho, em evento, em São Paulo, nesta manhã.

Como exemplo, citou a baixa penetração do mercado de seguros no Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, hoje pouco acima dos 4%, bem abaixo da participação de ao redor dos 10% dos países desenvolvidos. Embora outros emergentes, como China e Índia, tenham peso menor que o Brasil, o executivo chamou a atenção para a África do Sul, onde a penetração do setor de seguros está próxima dos 15%, o que mostra a oportunidade existente no País.

"A Sompo quer crescer cada vez mais em mercados emergentes como Brasil, Turquia, Indonésia, Malásia, Cingapura. E quem olha mercados emergentes tem de olhar o Brasil de olhos bem abertos", destacou Vidigal Filho.

De janeiro a maio, a Sompo Seguros emitiu R$ 1,22 bilhão em prêmios de seguros, incluindo saúde, montante 13,4% maior que o registrado em igual intervalo do ano passado. Os ramos que mais cresceram no período, conforme a companhia, foram grandes riscos (alta de 179,8%, na mesma base de comparação), transporte (77,2%) e seguro de vida (58,5%). Se excluído o ramo saúde, a expansão de prêmios de janeiro a maio ultrapassou os 20%, conforme o presidente da Sompo Seguros.

Para este ano, de acordo com ele, a companhia deve ampliar seu portfólio de produtos no Brasil com soluções específicas para pequenos e médios negócios, caminhoneiro no setor de transportes e também apólices combo que associam seguro automóvel e residencial. Ele antecipou ainda que a seguradora pretende lançar ofertas sob medida para o público de alta renda.

Com patrimônio líquido de mais de R$ 1 bilhão e R$ 3,4 bilhões em ativos totais, a operação brasileira da Sompo é a maior do grupo fora do Japão, com faturamento de cerca de R$ 2,7 bilhões no ano passado e três milhões de clientes. A companhia é resultado da união da brasileira Marítima Seguros e a subsidiária da Sompo no Brasil, a Yasuda Seguros.

Em 2009, a japonesa comprou 50% da companhia fundada em Santos há mais de sete décadas. Quatro anos mais tarde, por meio da Yasuda, a Sompo elevou sua participação na Marítima e assumiu o controle da seguradora no País. Após a conclusão da integração, cujo aval do regulador saiu há quase dois anos, a companhia decidiu trocar seu nome no Brasil para Sompo Seguros, já aprovado pela Superintendência de Seguros Privados (Susep).

A Sompo Holdings é a maior seguradora do Japão em Seguros Patrimoniais. No mundo, ocupa a 12ª colocação, com faturamento de mais de 2,5 bilhões de ienes (cerca de R$ 81 bilhões) e 10,2 trilhões de ienes em ativos totais (cerca de R$ 325 bilhões) no ano fiscal 215. Está presente em 32 países e reúne mais de 20 milhões de clientes no mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.