SP vai aumentar fiscalização sobre condições de trabalho em canaviais

São Paulo, 17 - A Secretaria Estadual da Saúde decidiu lançar uma ofensiva contra condições irregulares de trabalho em canaviais paulistas. Até novembro, o órgão irá padronizar ações e treinar cerca de 250 técnicos sanitários para reforçar a fiscalização em todo o Estado. A secretaria quer que os técnicos verifiquem se os profissionais estão com equipamentos de segurança, se o descanso está sendo respeitado, se as moradias são adequadas, com água, luz e distribuição regular entre cômodos. Eles também vão apurar se os direitos trabalhistas estão sendo respeitados e se não há trabalho infantil.Entidades e sindicatos informaram à secretaria que 20 pessoas tiveram morte relacionada a trabalho em canaviais em 2006. Segundo a diretora do Centro de Vigilância Sanitária (CVS), Paula Pozzi, os trabalhadores do setor canavieiro ganham por produtividade, o que ocasiona trabalho exaustivo e provoca acidentes de trabalho e até mortes. Também é comum que trabalhadores do setor tenham problemas respiratórios e que sejam vítimas de queimaduras graves. A maioria dos trabalhadores vem das Regiões Norte e Nordeste do País.São Paulo é maior produtor de cana do Brasil e tem hoje 171 usinas de açúcar e álcool, distribuídas por 131 municípios de 13 regiões.Profissionais municipais e estaduais de todas essas áreas receberão treinamento teórico e prático para fiscalizar não apenas as usinas, mas destilarias e lavouras de cana. A primeira turma teve treinamento em junho. Em agosto, o treinamento prático será em Araçatuba, Piracicaba e Marília. São cinco dias de treino, sendo três teóricos e dois práticos, visitas técnicas a usinas, plantações e moradias. As informações são da Secretaria de Saúde do Estado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.