SPC prevê 40 milhões no Cadastro Positivo até 2014

Adesão ao sistema é voluntária e gratuita; caso o consumidor não queira mais fazer parte da lista, pode pedir a remoção de seu nome

Agência Estado,

14 de agosto de 2013 | 12h29

O Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) estima obter 40 milhões de adesões ao Cadastro Positivo até o final de 2014. Na avaliação do superintendente do SPC Brasil, Nival Martins, o Cadastro Positivo vai melhorar a gestão de risco para quem concede crédito e beneficiar quem paga as contas dentro do prazo. "Com a plena alimentação do Cadastro Positivo, o comércio varejista, bancos e financeiras poderão praticar juros, prazos e taxas mais favoráveis aos bons pagadores, já que estes oferecem menores riscos", avalia Martins, em nota divulgada hoje.

Na nota, o SPC informa que a adesão ao sistema é voluntária e gratuita. O SPC Brasil, por exemplo, recebe dados de interessados desde o início do ano. Caso o consumidor não queira mais fazer parte da lista, pode pedir a remoção de seu nome a qualquer momento.

No caso do SPC, O consumidor que deseja ter seu nome incluído no Cadastro Positivo precisa preencher um formulário disponível para download no site da instituição (https://www.spcbrasil.org.br/consumidor/cadastro-positivo) e entregá-lo pessoalmente em qualquer posto de atendimento do SPC ou enviar o formulário preenchido por meio dos Correios. Após o recebimento e validação das informações, o consumidor receberá um login e uma senha, permitindo acompanhar via internet todas as informações que estarão disponíveis para quem conceder crédito. Ainda nesse semestre será possível fazer a adesão pelo site do SPC Brasil.

O Cadastro Positivo vai listar o histórico dos bons pagadores. Empresas e bancos poderão consultar o banco de dados a fim de saber se quem solicita crédito é realmente um bom pagador. O objetivo é oferecer melhores condições de crédito a juro baixo para quem paga as contas em dia.

Faturas do cartão de crédito, crediários, empréstimos, financiamentos, contas de telefone fixo, luz, internet, entre outras, terão a pontualidade de pagamento analisada para a concessão de crédito. O consumidor pode fazer a adesão ao cadastro positivo por meio de birôs de crédito como o SPC Brasil, a Serasa Experian e o SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito), administrado pelo Boa Vista Serviços. O Cadastro Positivo começou a valer efetivamente em 1º de agosto.

Tudo o que sabemos sobre:
Cadastro Positivo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.