Spread do crédito livre é 2º mais baixo da série histórica

Spread em abril caiu para 23,8 pontos porcentuais ao ano e apenas para os 22,3 pontos porcentuaisverificados em dezembro de 2007

Fabio Graner, da Agência Estado,

26 de maio de 2010 | 12h38

O chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Altamir Lopes, informou há pouco que o spread bancário médio do crédito com recursos livres em abril, que caiu para 23,8 pontos porcentuais ao ano, foi o segundo mais baixo da série histórica do BC, perdendo apenas para os 22,3 pontos porcentuais verificados em dezembro de 2007. O spread para pessoa física, que recuou para 29,5 pontos porcentuais no mês passado, atingiu o nível mais baixo da série, que tem início em julho de 1994.

Altamir explicou que a queda nos spreads bancários reflete a redução do nível de inadimplência no crédito livre. Segundo ele, essa redução dos spreads foi determinante para que os juros médios no crédito livre ficassem praticamente estáveis no mês passado, a despeito da alta na taxa de captação dos bancos. O custo para os bancos tomarem recursos subiu por conta da elevação na "curva de juros" (as taxas de juros futuras formadas no mercado financeiro), que responde à expectativa de alta na taxa Selic pelo BC. A taxa média de captação no crédito livre subiu 0,3 ponto porcentual ao ano, mesmo índice verificado tanto para operações de pessoa física como de pessoa jurídica.

O chefe do Depec acredita que ainda há espaço para a inadimplência cair mais, tanto para pessoa física como para jurídica, embora destaque que o primeiro grupo tenha mais espaço para melhorar nesse quesito. Com isso, Altamir acredita que o spread bancário pode manter sua tendência de queda, segurando a taxa de juros final para o consumidor, mesmo com a alta dos custos de captação.

Apesar de as parciais de maio mostrarem que os juros finais estão subindo e de o spread ficar estável neste mês, o técnico do BC pondera que os números parciais costumam se alterar ao longo do mês. Ele lembra que, no mês passado, os dados parciais mostravam alta no spread, mas o dado final mostrou exatamente o contrário. Altamir explicou que os dados parciais estão muito sujeitos a variações em operações específicas. 

Tudo o que sabemos sobre:
spreadcréditojuro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.