Starbucks comemora mercado 'vibrante e animador' do Vietnã

Rede de cafeterias investe para ampliar presença no país asiático destruído pelos americanos em guerra encerrada em 1975

Agência Estado

23 de julho de 2014 | 12h22

HANÓI - A companhia norte-americana Starbucks abriu nesta quarta-feira,23, sua primeira loja em Hanói, expandindo sua presença no Vietnã, um dos maiores produtores de café do mundo. 

A unidade fica na esquina da rua Hang Bai e com a Ly Thuong Kiet - um dos pontos mais movimentados da cidade - e é a primeira das três lojas que a empresa planeja abrir neste mês.

A Starbucks entrou no Vietnã em fevereiro do ano passado, inaugurando as primeiras lojas na cidade de Ho Chi Minh, o centro econômico do país. 

Entre 1955 e 1975, a ação militar dos americanos no Vietnã deixou entre três milhões e quatro milhões de vietnamitas mortos.

Agora a empresa já conta com oito unidades no local. "Olhamos para o Vietnã e vemos tanto potencial... É um mercado muito vibrante e animador", disse Jeff Hansberry, presidente da Starbucks para China e Ásia-Pacífico, que se juntou ao embaixador norte-americano no Vietnã, David Shear, e também outras autoridades da região durante a inauguração da loja de Hanói.

A Starbucks enfrentará a concorrência de cafeterias vietnamitas, que são encontradas em toda a cidade. Ao mesmo tempo que o grupo de Seattle comemorava a abertura de sua primeira unidade em Hanói, do outro lado da rua uma cafeteria local, a Phuong Linh, atendia uma grande quantidade de clientes.

 "Eu prefiro o café vietnamita porque é mais forte", disse o taxista Tran Duc Minh, de 35 anos. "O café vietnamita é mais barato e ideal para viciados em café", comentou.

O café vendido pela Starbucks será um pouco mais caro que o oferecido pela concorrência, com os preços devendo variar entre 35 mil e 105 mil dong (US$ 1,65 a US$ 5) por unidade, dependendo do tamanho. 

O Vietnã é um dos principais produtores de café do mundo, mas a variedade arábica, usada pela Starbucks, responde por apenas 3% do volume colhido no país.

O tipo robusta, usado pela maior parte das cafeterias vietnamitas e também em misturas instantâneas, compreende 97% da produção doméstica. Dados do governo mostraram que o Vietnã exportou 1,06 milhão de toneladas de café na primeira metade deste ano, mais que as 792 mil toneladas embarcadas nos seis primeiros meses de 2013. Fonte: Dow Jones Newswires.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.