Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
KAREN BLEIER/AFP
KAREN BLEIER/AFP

Starbucks fecha parceria com empresa chinesa para produzir frappucino

Companhia anunciou acordo para a fabricação e a distribuição de bebidas na China

O Estado de S. Paulo

19 de março de 2015 | 10h05

A Starbucks anunciou uma parceria com a Tingyi, fabricante chinesa de alimentos e bebidas, para produzir e ampliar a rede de distribuição da linha de bebidas prontas da companhia americana no país asiático. A Tingyi será responsável pela fabricação e pela venda dos produtos, enquanto a Starbucks irá supervisionar o desenvolvimento de marcas e produtos. Inicialmente, as duas companhias irão focar na linha de frappuccinos prontos da Starbucks.

A China é o mercado de maior expansão da Starbucks fora dos Estados Unidos, com mais de 1.500 lojas em quase 90 cidades. Com a parceria, a empresa irá ter acesso a cerca de 6 mil pontos de venda no país. No ano passado, as vendas de bebidas prontas à base de café na China cresceram 22%, para 5,48 bilhões de yuans (US$ 884,4 milhões), conforme pesquisas da Euromonitor International.

Apesar do rápido crescimento do mercado de café, os produtos ainda têm pouca demanda na China, uma vez que o chá tende a ser a escolha principal dos consumidores. A expectativa da Starbucks é de tornar seus produtos mais acessíveis no mercado chinês. "Beber café ainda não faz parte da cultura chinesa, isso deve demorar uma ou duas gerações", explicou Jeremy Yeo, analista decha parceria com empresa chinesa para produzir frappucinos prontosa Mizuho Securities Ásia.

Para a Tingyi, o acordo representa um novo empreendimento de marcas estrangeiras. A empresa, que conta com mais de 100 instalações na China, fabrica produtos de outras grandes multinacionais, como Pepsi. (Com informações da Dow Jones Newswires).

Tudo o que sabemos sobre:
Starbucksbebidas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.