Stephanes vê forte crescimento agrícola do Brasil no longo prazo

O setor agrícola do Brasil vai crescerrapidamente na próxima década e dobrará algumas de suasprincipais exportações, apesar das preocupações com adestruição da Amazônia e das dívidas dos produtores, disse oministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, na quarta-feira. Críticos dizem que a rápida expansão da fronteira agrícolabrasileira tem ajudado a fazer com que os produtores emadeireiros invadam a floresta, ampliando a destruição. "Ainda podemos crescer substancialmente sem desmatamento",disse o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes, ementrevista à imprensa, depois de apresentar o plano do governopara o setor nos próximos dez anos. A produção brasileira de álcool deverá crescer 113 porcento e as exportações do combustível teriam um aumento de 270por cento na próxima década, de acordo com o relatório. O Brasil deve ultrapassar os Estados Unidos como o maiorexportador de soja, com as vendas externas subindo 40 porcento, para 50,5 milhões de toneladas, até a safra 2016/17. "Vemos boas perspectivas para um forte crescimento", disseStephanes. O governo proibiu no mês passado a venda de produtosagrícolas provenientes de áreas ilegais de desflorestamento naAmazônia, em uma tentativa de reverter a destruição. Está sendo avaliada uma nova lei de zoneamento para regulara atividade agropecuária de acordo com as regiões sensíveisambientalmente. Ambientalistas ainda questionam se o governo tem as fontespara implementar controles. A maior produção agrícola viria de uma melhor produtividadee do uso de áreas de pastagens degradadas, por exemplo. As exportações de carne bovina, que subiram 104 por centodesde 1994, aumentariam mais 62 por cento na próxima década,projetou o ministério. Para expandir a sua já dominante posição em muitascommodities no mercado internacional, o Brasil teria que setornar mais agressivo nos próximos anos, de acordo comStephanes. Isso inclui mais linhas de crédito para produtores, queperderam dinheiro após duas safras ruins consecutivas (em2004/05 e 2005/06). As projeções do governo assumem que um crescimento da rendaper capita mundial de 3,05 por cento até 2016, ante 2,86 porcento na última década.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.