Robert Galbraith/REUTERS
Robert Galbraith/REUTERS

Steve Jobs reaparece para lançar novidades da Apple

Executivo retornou de uma licença médica após passar por um transplante de fígado neste ano

Marcílio Souza e Regina Cardeal, da Agência Estado,

09 de setembro de 2009 | 14h56

O executivo-chefe da Apple, Steve Jobs, subiu ao palco durante um evento da companhia norte-americana em São Francisco nesta quarta-feira, 9, em sua primeira aparição em público desde que retornou de uma licença médica após passar por um transplante de fígado este ano.

 

Jobs, cuja presença no evento foi amplamente debatida pelos observadores da Apple, foi saudado com um ruidoso aplauso pelos presentes. Ele anunciou um novo sistema operacional para o iPod, bem como uma nova versão da loja de música online iTunes. Jobs alardeou as conquistas da Apple no segmento musical, afirmando que a empresa da Califórnia vendeu 30 milhões de iPods em pouco mais de dois anos. Ele também disse que havia 100 milhões de contas Itunes.

 

O iPod é considerado um dos mais importantes avanços no desenvolvimento do mercado de música digital. Mas recentemente as vendas do produto dão sinais de que estariam perdendo o ímpeto. Embora continue sendo um dos principais produtos do grupo, o iPod agora responde por 18% da receita total da Apple; no quarto trimestre de 2005, era mais de 30%. As vendas diminuíram em parte por causa da recessão mas também por causa do sucesso do iPhone, também da Apple.

 

Antes do evento em São Francisco, a Apple anunciou uma redução dos preços de boa parte da linha de seu aparelho de mídia digital iPod. O preço do iPod Touch de 16 gigabyte foi rebaixado de US$ 299 para US$ 249, enquanto o modelo de 8 gigabyte caiu de US$ 229 para US$ 189. A Apple também cortou o preço do iPod nano de US$ 189 para US$ 149 no modelo de 16 giga e de US$ 149 para US$ 129 na versão de 8 gigabyte. O preço do iPod Classic de 120 gigabyte caiu para US$ 229, de US$ 249. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
Steve JobsApple

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.