Strauss Kahn faz segundo pedido de libertação sob fiança

Ex-diretor-gerente do FMI foi indiciado sob sete acusações de violência sexual contra camareira de hotel

Renato Martins, da Agência Estado,

19 de maio de 2011 | 16h29

O ex-diretor-gerente do FMI, Dominique Strauss-Kahn, fez um novo pedido de liberação sob fiança nesta quinta-feira,19. Ele foi indiciado sob sete acusações de violência sexual contra uma camareira do hotel Sofitel de Manhattan.

O anúncio foi feito durante a audiência pública na qual o juiz Michael Obus, da Suprema Corte do Estado de Nova York, vai decidir se libera Strauss-Kahn sob fiança. Os advogados dele ofereceram uma fiança de US$ 1 milhão e propuseram que Strauss-Kahn aguarde julgamento confinado em um apartamento em Nova York, com monitoração eletrônica.

Strauss-Kahn, que havia sido preso no sábado, teve seu primeiro pedido de libertação sob fiança negado na segunda-feira. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.