Subcomitê vota pela prorrogação dos subsídios da Farm Bill nos EUA

Washington, 19 - Um subcomitê de agricultura da Casa dos Representantes dos Estados Unidos votou pela prorrogação, por mais cinco anos, dos subsídios agrícolas estabelecidos na lei agrícola americana (Farm Bill) de 2002.A decisão contrariou uma recomendação do poder executivo. A administração de George W. Bush havia pedido ao Congresso reformas que tornassem os programas de ajuda aos agricultores ilesos a possíveis contestações por membros da Organização Mundial do Comércio (OMC).Antes da votação, o vice-secretário do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), Chuck Conner, alertou aos membros do subcomitê que seria um erro desprezar a proposta do USDA de mudar a forma de atuação dos programas de subsídios.Um dos maiores desafios da administração Bush em relação à próxima Farm Bill, que entra em vigor em 2008 e tem validade até 2012, é o de reparar os pagamentos contracíclicos, de modo que sejam baseados no rendimento das fazendas e não em preços de commodities.Para Conner, o atual programa não ajuda os produtores que são afetados por secas severas ou outros problemas que destruam as lavouras. Além disso, o sistema não leva em consideração as produtividades das fazendas e pode, eventualmente, pagar mais do que o necessário. "Nós acreditamos que a atual Farm Bill dá mais ajuda quando o produtor tem a melhor safra, em seu melhor ano, e dá menos quando o produtor mais precisa", afirmou Conner aos legisladores.Os membros do subcomitê não se deixaram, contudo, influenciar pelas declarações de Conner e optaram, por 18 votos a zero, pela manutenção do atual sistema de pagamentos na nova Farm Bill. Ao fazer essa escolha, eles rejeitaram não apenas a proposta do governo, mas também um novo plano de subsídios apresentado hoje pelo presidente do Comitê de Agricultura da Casa, Collin Peterson.A recomendação do subcomitê não é conclusiva e ainda será avaliada pelo Comitê Integral de Agricultura. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.