Suez vence leilão de Jirau e fala em antecipar geração

O consórcio Energia Sustentável doBrasil, liderado pela Suez Energy, venceu nesta segunda-feira oleilão de concessão da hidrelétrica de Jirau, no Rio Madeira,usina que terá capacidade instalada de 3.300 megawatts e quedeverá consumir 8,7 bilhões de reais para ser construída. O consórcio --que também inclui Camargo Corrêa, Eletrosul eChesf-- ofereceu preço de 71,40 reais por megawatt hora (MWh)no lance vencedor do leilão, o que significa um deságio de 21,5por cento sobre o preço inicial de 91 reais por MWh. Jirau é a segunda hidrelétrica do Complexo do rio Madeira,em Rondônia. A primeira unidade, Santo Antônio, foi leiloada emdezembro do ano passado e o consórcio Madeira Energia, lideradopor Odebrecht e Furnas, foi o vencedor, com lance quesignificou deságio de 35 por cento sobre o preço inicial. Analistas esperavam por forte competição no leilão, maspreviam um deságio menor, de aproximadamente 10 por cento. O consórcio perdedor nesta segunda tinha a mesma formaçãodo grupo que venceu o primeiro leilão, contando, além deOdebrecht e Furnas, com Andrade Gutierrez, Cemig e um fundo deinvestimentos dos bancos Banif e Santander. "O deságio é resultado de otimizações planejadas pelossócios com base em estudos técnicos que permitirão aantecipação da geração, menores custos e menores impactosambientais", afirmou em nota o presidente do consórciovencedor, Victor-Frank Paranhos. A Suez informou em outro comunicado que pretende anteciparo início de operações da usina de janeiro de 2013 para março de2012, "ampliando a oferta de energia elétrica para o Brasil". "A meta é iniciar a construção o mais rápido possível, logoapós a emissão da licença de instalação", acrescentou acompanhia na nota. O presidente da Suez Energy Brasil, Maurício Bahr, informouque os sócios do consórcio já subscreveram 2,5 bilhões dedólares em capital na companhia, e o restante será viabilizadovia financiamento do BNDES. As duas usinas do Madeira são consideradas fundamentaispara garantir o suprimento de energia elétrica no Brasil apartir de meados de 2013. No total, a usina de Jirau terá 44 unidades geradoras. Aprevisão inicial era de que a hidrelétrica estaria operando comcapacidade total até outubro de 2016. Alguns fatores diferenciam Jirau da primeira unidade, aSanto Antônio, como a distância maior para a capital PortoVelho, de 130 quilômetros, e o fato do local da usina estar emuma área de mata mais densa, o que dificulta o aspectologístico do projeto. Quando estiver sendo preenchido, o reservatório dahidrelétrica de Jirau vai alagar uma área de 258 quilômetrosquadrados na região. Apesar disso, o governo diz que o projetorepresenta uma evolução já que usinas localizadas na mesmaregião, com potências inferiores, alagaram áreas muito maiores,como a hidrelétrica de Samuel, também em Rondônia. Confira abaixo a formação do consórcio vencedor: CONSÓRCIO ENERGIA SUSTENTÁVEL DO BRASIL EMPRESA PARTICIPAÇÃO Suez Energy South America Participações Ltda. 50,1% Camargo Correa Investimentos em Infra-Estrutura S/A 9,9% Eletrosul Centrais Elétricas S/A 20% Companhia Hidro Elétrica do São Francisco -- Chesf 20%

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.