Superávit do setor público em maio é o 2º maior para o mês, diz BC

Valor do superávit acumulado neste ano já representa o cumprimento de 55% da meta para todo o período de 2011, de R$ 117,9 bilhões 

Renata Veríssimo, da Agência Estado,

30 de junho de 2011 | 12h08

O chefe do Departamento Econômico do Banco Central, Túlio Maciel, informou nesta quinta-feira, 30, que o superávit primário do setor público consolidado em maio, de R$ 7,506 bilhões, foi o segundo maior para meses de maio, menor apenas que o resultado de 2008, quando somou R$ 8,5 bilhões.

Além disso, o desempenho das contas públicas no acumulado de janeiro a maio de 2011 também é o segundo melhor para o período. O superávit dos cinco primeiros meses deste ano totalizou R$ 64,820 bilhões, abaixo apenas dos R$ 69,8 bilhões acumulados de janeiro a maio de 2008.

Maciel destacou ainda que o valor no acumulado deste ano já representa o cumprimento de 55% da meta de superávit primário para todo o período de 2011, de R$ 117,9 bilhões. No mesmo período do ano passado, o governo havia cumprido apenas 35% do total meta. Em 2009, correspondia a 41% da meta.

O superávit acumulado nos últimos 12 meses até maio, de R$ 126,639 bilhões, é o melhor resultado para o período de toda a série histórica, iniciada em 2001. Em relação ao PIB, o porcentual de 3,29% registrados até maio, é o melhor desde dezembro de 2008, quando o superávit em 12 meses correspondia a 3,42% do PIB.

Maciel disse também que a tendência é que haja um crescimento da proporção à medida que há a substituição de resultados mensais mais fracos em 2010 por superávits melhores este ano.

Gastos com juros

Maciel disse que os gastos com juros em maio, de R$ 22,175 bilhões, foram os maiores da série histórica, iniciada em 2001. Segundo ele, pesaram na conta de juros, o aumento do IPCA e da taxa Selic, além do efeito acumulação dos estoques da dívida.

No acumulado do ano até maio, o pagamento de juros também é o pior resultado para o período. O governo pagou, em 2011 até o mês passado, R$ 100,760 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.