Divulgação
Divulgação

Supercargueiro da Embraer decola pela primeira vez

Com 35,2 metros de comprimento e capacidade para transportar até 23 toneladas de carga, protótipo sobrevoou interior por uma hora e 19 minutos

Roberto Godoy, O Estado de S. Paulo

03 Fevereiro 2015 | 14h43

 

O supercargueiro KC-390 da Embraer decolou pela primeira vez na manhã desta terça-feira, 3,  na pista da fábrica de Gavião Peixoto, interior de São Paulo. O voo inaugural durou uma hora e 19 minutos.

O voo transcorreu normalmente, segundo o comandante Marcos Oliveira Lima, coronel da reserva da FAB que trabalha como piloto de testes. Ele estava acompanhando de mais um piloto e dois engenheiros de voo da Embraer.

Com 35,2 metros de comprimento e capacidade para transportar até 23 toneladas de carga, o KC-390 é o maior avião já desenvolvido no Brasil. Mais de 50 empresas brasileiras participam do projeto, que conta ainda com a colaboração da Argentina, de Portugal e da República Tcheca. 

O compartimento de carga do avião tem 18,54 metros de comprimento, 3,45 metros de largura e 2,95 de altura. O espaço é suficiente para acomodar equipamentos de grandes dimensões, além de blindados, peças de artilharia, armamentos e até aeronaves semi-desmontadas. 

O avião também pode transportar até 80 soldados equipados ou 64 paraquedistas em uma configuração de transporte de tropa. O peso máximo para cargas é de 23 toneladas. Como reabastecedor, o KC-390 será capaz de transferir combustível em voo para aviões e helicópteros.

 

 

 

 

Voo. O voo inaugural é o início da fase de testes dos dois protótipos, prevista para durar até o fim de 2016, quando começam as entregas, informou a Embraer. Em maio de 2014, a Força Aérea Brasileira assinou o pedido de aquisição de 28 aeronaves.

As 28 unidades para a FAB serão entregues ao longo de doze anos. Com valor total de R$ 7,2 bilhões, o contrato prevê o fornecimento de um pacote de suporte logístico, que inclui peças sobressalentes e manutenção.

"O KC-390 será a espinha dorsal da aviação de transporte da Força Aérea Brasileira", disse o comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato. "Da Amazônia à Antártica, a frota de 28 aeronaves terá um papel fundamental para os mais diversos projetos do Estado brasileiro, da pesquisa científica à manutenção da soberania", acrescentou.

O comandante da Aeronáutica assistiu à primeira decolagem ao lado do presidente da Embraer, Frederico Fleury Curado; do Vice-Presidente Executivo de Negócio de Defesa e Segurança, Jackson Medeiros de Farias Schneider; e do ex-comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Juniti Saito.

Na FAB, os cargueiros KC-390 deverão cumprir todas as missões atualmente realizadas pelos C-130 Hércules, como transporte de tropas e de carga, lançamento de paraquedistas, busca e combate a incêndios. Para isso, o avião deverá ser capaz de pousar em pistas sem asfalto e operar em ambientes que vão do frio da Antártica até o calor da Amazônia. O uso de turbinas a jato permitirá alcançar uma velocidade de até 870 km/h. O C-130 Hércules alcança até 671 km/h.

 

 

Mais conteúdo sobre:
Embraer

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.