Suzano Papel e Celulose/Divulgação
Suzano Papel e Celulose/Divulgação

Suzano tem queda de 61% no lucro no quarto trimestre de 2021

O valor chegou a R$ 2,3 bilhões no período entre outubro e dezembro do ano passado; empresa reverteu prejuízo registrado no ano de 2020

Wagner Gomes, O Estado de S.Paulo

09 de fevereiro de 2022 | 18h59

A empresa de papel e celulose Suzano informou nesta quarta-feira, 9, que teve lucro líquido de R$ 2,3 bilhões no quarto trimestre de 2021, queda de 61% em relação ao mesmo período do ano anterior, quando ficou em R$ 5,9 bilhões. Considerando o ano completo de 2021, a companhia conseguiu reverter o prejuízo de R$ 10,7 bilhões registrado em 2020 em um lucro de R$ 8,6 bilhões. No mesmo ramo de negócios, o lucro da Klabin também teve queda no fim do ano.

O ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da Suzano atingiu R$ 6,3 bilhões no quarto trimestre de 2021, alta de 60% em relação ao mesmo período do ano anterior. Em 2021, O Ebitda ajustado chegou a R$ 23,4 bilhões, avanço de 57%% em relação a 2020, quando ficou em R$ 14,9 bilhões. 

A receita líquida do quarto trimestre ficou em R$ 11,4 bilhões, alta de 43% na comparação com o mesmo período de 2020 (R$ 8 bilhões). Em todo o ano de 2021, a receita líquida atingiu R$ 40,9 bilhões, avanço de 34% na comparação com o ano anterior (R$ 30,4 bilhões). 

A Suzano informou ainda que o ano de 2021 apresentou os melhores resultados de sua história. A companhia diz que em contexto de restrições logísticas nas cadeias globais e baixa disponibilidade de celulose no mercado, a significativa recuperação do preço da celulose e o forte volume de vendas foram característicos ao longo do ano. Isso suportou um crescimento de 59% no ebitda deste segmento em 2021, apesar da pressão sobre o custo caixa de produção, em grande parte afetado pela alta global dos preços das commodities.

No segmento do papel, o ebitda foi recorde, impulsionado pelo desempenho operacional e significativa melhora do ambiente de negócios, à despeito da elevação dos custos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.