Suzuki diz que colapso da GM é '100%' impossível

O presidente-executivo da Suzuki Motor, Osamu Suzuki, afirmou nesta quarta-feira que acredita que um pedido de concordata da General Motors, ex-principal acionista da montadora japonesa, é "100 por cento" impossível. "Não estamos absolutamente assumindo um cenário em que a GM peça concordata", afirmou Suzuki a jornalistas em coletiva de imprensa em Tóquio. "Eu acredito que está 100 por cento fora do domínio da possibilidade", disse ele, repetindo que as duas montadoras vão continuar a trabalhar juntas no desenvolvimentos de tecnologias futuras de segurança e meio-ambiente. A GM, que já deteve o controle de 20 por cento da Suzuki, vendeu os seus últimos 3 por cento de volta para a montadora japonesa na última semana, em busca de dinheiro para evitar ter de entrar com pedido de concordata. A parceria entre GM e a fabricante japonesa de carros de pequeno já dura 27 anos e ainda envolve mais de 10 projetos conjuntos, incluindo a produção pela Suzuki de marcas da Opel e a propriedade conjunta de uma fábrica na Argentina. A GM, que está buscando um pacote de resgate do governo norte-americano, registrou no começo de novembro perdas acima do esperado, e alertou que poderá enfrentar escassez de recursos no próximo ano se não receber ajuda.

REUTERS

26 de novembro de 2008 | 08h32

Tudo o que sabemos sobre:
AUTOSSUZUKIGM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.