TAM e Air Canada vão compartilhar vôos a partir de dezembro

A TAM e Air Canada anunciaram nestaquarta-feira um acordo operacional de compartilhamento(code-share) e sinergia de seus programas de milhagem TAMFidelidade e Aeroplan. Segundo Paulo Castello Branco, vice-presidente dePlanejamento e Alianças da TAM, o objetivo da parceria éampliar em 20 mil o número de passageiros que fazem a rotaentre Brasil e Canadá por ano. "Hoje, o tráfego Brasil-Canadágira em torno de 73 mil por ano", disse. "O Brasil é o mercado mais importante para a companhia naAmérica do Sul", disse Daniel Shurz, vice-presidente dePlanejamento da companhia aérea canadense. A rota entre Canadáe Argentina, segunda mais importante da companhia canadense naregião, transporta cerca de 44 mil passageiros por ano. O acordo começa a vigorar em dezembro. Os passageiros daTAM poderão viajar pela Air Canada de São Paulo para Torontocom conexões para cidades como Vancouver e Montreal, porexemplo. Passageiros da Air Canada, por sua vez, poderão utilizarvôos da TAM. Além de São Paulo e Rio, a Air Canadá acredita nademanda por destinos como Brasília, Belo Horizonte e PortoAlegre. Segundo Castello Branco, os acordos de compartilhamento sãoestratégicos em momentos de crise. "As parcerias em codesharetrazem sinergias importantes numa hora em que a questão doscustos elevados das companhias está em pauta." O preço do combustível, que representa de 35 a 37 por centodos custos operacionais preocupam as duas companhia. "Como todaa indústria mundial, a TAM sofre com os impactos do aumento dopreço do barril (de petróleo) e somos obrigados a aumentar opreço das tarifas", disse Castello Branco. A TAM prevê aumento de 7 por cento nas tarifas dos vôosdomésticos e de 5 por cento nos internacionais. Até maio, omercado, segundo Castello Branco, reajustou em 11,5 por centonos domésticos e entre 10 por cento e 15 por cento nosinternacionais. Além de reajustar tarifas, a Air Canada retirou duas rotasde operação. A rota Vancouver-Osaka deixou de ser operadapermanentemente, enquanto a rota Toronto-Roma, ficará suspensadurante o inverno. "Fizemos ajustes da capacidade total e atéoutubro vamos retirar alguns 676-200 de operação", declarouShurz. (Por Cláudia Fontoura; edição de Alexandre Caverni)

REUTERS

11 de junho de 2008 | 17h46

Tudo o que sabemos sobre:
AEREASTAMAIRCANADA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.