Taxa de desemprego caminha para fechar 2011 abaixo de 2010

Em dezembro do ano passado, a taxa de desemprego foi de 5,3%

Alessandra Saraiva, da Agência Estado,

26 de maio de 2011 | 10h59

A taxa de desemprego nas seis principais regiões metropolitanas do País "pode estar caminhando" para encerrar o ano de 2011 em um nível menor do que o finalizado no ano passado, nas palavras do gerente de Pesquisa Mensal de Emprego (PME) Cimar Azeredo.

Ele fez o comentário ao analisar o desempenho da taxa de desemprego de 6,4% apurada para o mês de abril pelo IBGE. Embora tenha ressaltado que o instituto não faz previsões, ele admitiu que um nível de 6,4% para a taxa de desemprego no mês de abril seria "atípico" na série histórica do instituto iniciada a partir da reformulação da PME em 2002. Isso porque, assim como os meses de dezembro sempre apresentam os menores níveis na taxa de desemprego - devido ao ritmo mais aquecido na economia, e às contratações temporárias características do quarto trimestre -, os meses de janeiro, fevereiro e março apresentam níveis elevados, influenciados pelas dispensas de temporários que costumam ocorrer nos primeiros meses do ano. Isso acaba por manter em alta a taxa de desocupação em abril. Em abril do ano passado, a taxa de desemprego foi de 7,3%.

Mas o mês de abril deste ano apresentou taxa de 6,4%, a menor para meses de abril desde 2002, e abaixo da média da taxa de desemprego registrada ao longo de 2010, de 6,7%. Para o especialista, é positivo um desempenho menor em abril na taxa de desocupação do que o apurado na média da taxa do ano passado - que inclui resultados como o de dezembro, mês com ritmo alto de contratações, que sempre contribuiu para a redução da taxa. Em dezembro do ano passado, a taxa de desemprego foi de 5,3%.

"O que estamos dizendo é que, se tudo der certo, se as coisas continuarem boas como estão, podemos estar caminhando para uma taxa de desocupação média ao final de 2011 menor do que a que tivemos na média da taxa de desocupação no ano passado", resumiu. 

Tudo o que sabemos sobre:
desempregoperspectiva

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.