Taxa de desemprego menor reflete fatores sazonais, diz IBGE

Segundo o instituto, a contratação de trabalhadores temporários - que costuma ocorrer em dezembro - foi antecipada, o que explicaria a queda

Alessandra Saraiva, da Agência Estado,

22 de dezembro de 2011 | 15h56

RIO - Fatores sazonais levaram a taxa de desemprego ao menor nível da série histórica da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), iniciada em março de 2002. Para o gerente da PME, Cimar Azeredo, em novembro, houve um movimento de antecipação na contratação de trabalhadores temporários, que costuma acontecer em dezembro, para atender ao aumento da demanda e ao reaquecimento econômico característico desta época do ano.

No entanto, ele fez uma ressalva. Não é possível dizer que o mercado de trabalho brasileiro não sentiu o movimento de desaceleração na economia, apurado pelo IBGE no desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) do terceiro trimestre (que mostrou estabilidade frente ao segundo trimestre). Azeredo frisou que a taxa de desemprego está sendo afetada por fatores sazonais, quando as contratações aumentam de ritmo nos setores de comércio e serviços, que juntos representam mais de um terço da população ocupada no mercado de trabalho. "Não podemos dizer que não existe efeitos de desaquecimento ou desaceleração. O que o mercado trabalho mostrou agora, neste momento, é uma geração de postos de trabalho para atender a esta demanda, que é um fator sazonal. É preciso passar este período sazonal ver, em janeiro, qual será o contingente de temporários que serão contratados de forma efetiva", resumiu

Diferenças

O cenário do mercado de trabalho apurado peloIBGE earece bem diverso do registrado pelos resultados de outubro do Caged. Azeredo foi questionado sobre as diferenças de resultados entre a PME e as apuradas pelo Caged. No resultado de outubro, o Caged mostrou queda na geração de postos de trabalho no mercado formal, um cenário muito diferente do quadro favorável apontado pelo IBGE em novembro.

Azeredo explicou que há grandes diferenças entre as duas pesquisas. Enquanto a abrangência do Caged é nacional, a PME engloba seis regiões metropolitanas. O Caged engloba apenas o mercado formal, enquanto a PME também apura o mercado informal.

Em novembro, a PME registrou queda de 1,9% no número de empregados sem carteira no setor privado ante novembro do ano passado. "É inquestionável o valor do Caged ao que ele se propõe; assim como é inquestionável o valor da PME. Mas estas diferenças podem ocorrer", afirmou. Cimar acrescentou que, no caso da pesquisa sobre mercado de trabalho do Dieese, o levantamento abrange regiões metropolitanas diferentes das pesquisadas pelo IBGE, com outra metodologia.

Tudo o que sabemos sobre:
quedadesempregosazonais

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.