Taxa de desemprego na Espanha atinge 21,3%, a maior desde 1997

Já taxa de desempregados na zona do euro ficou estável em março no menor nível em 1 ano e meio, a 9,9%

Danielle Chaves, da Agência Estado,

29 de abril de 2011 | 08h12

A taxa de desemprego na Espanha subiu para 21,3% no primeiro trimestre deste ano, informou o Instituto Nacional de Estatísticas (INE). Essa é a taxa mais alta desde o primeiro trimestre de 1997. No quarto trimestre de 2010 a taxa de desemprego no país havia sido de 20,3%.

Segundo o INE, o desemprego aumentou mais acentuadamente nos setores de manufatura e construção. No geral, 256.500 postos de trabalho foram perdidos no trimestre. Pouco mais de 4,9 milhões de pessoas estavam sem emprego no período, em comparação com 4,7 milhões nos três últimos meses do ano passado.

O INE informou que há diferenças entre a situação das regiões do país, onde o norte é mais rico e o sul mais pobre. No País Basco a taxa de desemprego ficou em 11,6%, enquanto na Andaluzia ficou em 29,7%.

Zona do euro

O número de desempregados na zona do euro ficou estável em março no menor nível em um ano e meio, segundo a Eurostat. A taxa de desemprego sazonalmente ajustada permaneceu em 9,9%, assim como em fevereiro, conforme o esperado. Essa taxa havia sido registrada pela última vez em setembro de 2009.

Os números mostraram divergências entre os países membros do bloco. Na Alemanha a taxa de desemprego diminuiu de 6,4% para 6,3% em março, mas na Espanha e na Itália, entre outros países, houve aumento. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
zona do eurodesempregoEspanhataxa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.