Taxa de desemprego recua para 5,6% em julho, informa IBGE

Indicador caiu na comparação com junho, quando registrou 6%; já ante julho de 2012, desemprego teve aumento de 0,2 ponto porcentual, segundo o IBGE 

Mônica Ciarelli, Agência Estado

22 de agosto de 2013 | 09h17

RIO - A taxa de desemprego apurada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nas seis principais regiões metropolitanas do País ficou em 5,6% em julho, ante 6% em junho deste ano e 5,4% em julho do ano passado, informou nesta quinta-feira, 22, o instituto.

A queda em relação ao mês de junho é considerada "estatisticamente significativa" pelo IBGE. Por outro lado, na comparação com julho de 2012, o aumento de 0,2 ponto porcentual é avaliado como estabilidade pelo instituto.

O resultado de julho ficou no piso do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo AE Projeções (5,60% a 6,20%) e abaixo da mediana projetada, de 5,80%.

A taxa de desemprego registrou em julho a primeira desaceleração em 2013. O coordenador de Trabalho e rendimento do instituto, Cimar Azevedo, explica que o movimento se deve a queda de 5,3% em julho da população desocupada frente a junho e ao aumento de 0,7% na população ocupada no mesmo período.

Azevedo chama atenção para a desaceleração da taxa em São Paulo, região metropolitana que concentra 40% do total da pesquisa. A taxa passou de 6,6% para 5,8% na passagem de junho para julho.

Apesar dessa desaceleração em julho, o técnico destaca que o comportamento da taxa em 2013 está muito parecido com o registrado no ano passado. A taxa média de desemprego no acumulado dos sete primeiros meses é de 5,7%, muito próxima a média de 5,8% do apurado entre janeiro a julho de 2013.

Renda

O rendimento médio real dos trabalhadores registrou variação negativa de 0,9% em julho ante junho, e aumento de 1,5% na comparação com julho do ano passado.

A massa de renda real habitual dos ocupados no País somou R$ 43,1 bilhões em julho, estável em relação a junho. Na comparação com julho de 2012, a massa cresceu 2,7%.

Já a massa de renda real efetiva dos ocupados totalizou R$ 42,7 bilhões em junho, com queda de 0,8% frente ao mês anterior. Na comparação com junho de 2012, houve aumento de 2,1% na massa de renda efetiva. O rendimento médio do trabalhador foi de R$ 1.848,40 em julho, uma queda de 0,9% em relação a junho.

Tudo o que sabemos sobre:
IBGEtaxa de desemprego

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.