Telefónica confirma compra da parte da PT na Vivo

Empresa espanhola confirma a informação à Comissão Nacional da Bolsa de Valores; ações da companhia telefônica sobem

Efe,

28 de julho de 2010 | 05h53

MADRI - A espanhola Telefónica confirma à Comissão Nacional da Bolsa de Valores da Espanha que acertou um princípio de acordo com a Portugal Telecom (PT) para adquirir os 30% que a companhia lusa tem na brasileira Vivo. A empresa espanhola informa também que os conselhos de administração da PT e da Telefónica se reunirão nesta quarta-feira, 28, para avaliar o acordo.

Alguns veículos da imprensa de Portugal e Espanha informaram nesta quarta-feira que as empresas tinham chegado a um princípio de acordo durante esta madrugada para a venda da participação da PT na Vivo por 7,5 bilhões de euros (US$ 9,75 bilhões), 350 milhões de euros (US$ 455 milhões) acima da última oferta da Telefónica.

A imprensa lusa também destaca que a operação conta com o apoio do governo português, que até se mostrava contra um acordo. A oferta anterior, de 7,15 bilhões de euros (US$ 9,2 bilhões), que contava com a aprovação de 74% de apoio dos acionistas da PT, foi negada pelo governo utilizando a chamada "ação de ouro", que dá poder de veto.

Dias depois, a União Europeia declarou como ilegal a utilização do poder, e a Portugal Telecom iniciou ações de aproximação com outra operadora brasileira, a Oi.

Enquanto isso, a Telefónica dava os primeiros passos para desmantelar a empresa Brasilcel, que tem 60% da Vivo e é administrada em parceria com a PT.

No último dia 26 de julho, o principal acionista da PT, o Banco Espírito Santo (BES), se mostrou a favor de encontrar uma solução rápida para a venda da Vivo à Telefónica, evitando disputas nos tribunais, já que os principais prejudicados seriam PT e Telefónica.

Foi quando o presidente do BES, Ricardo Salgado, assinalou o "enorme potencial" da Oi para que a PT faça investimentos como alternativa à perda da Vivo.

O pré-acordo acertado na madrugada desta terça-feira representa um aumento de 1,8 bilhões de euros (US$ 2,3 bilhões) sobre a oferta inicial da Telefónica de 5,7 bilhões de euros, feita em maio deste ano, que foi elevada primeiro a 6,5 e depois a 7,15 bilhões de euros.

As ações da Telefónica na Bolsa de Valores de Madri subiam 0,62% às 9h30 pelo horário espanhol (4h30 em Brasília), até 16,99 euros por ação.

Tudo o que sabemos sobre:
Vivo, PT, Telefónica, compra

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.