Terremoto no Japão terá 'pequeno impacto' no 2o tri, diz Embraer

A Embraer informou na terça-feira que haverá um "pequeno impacto" nas entregas de aeronaves planejadas para o segundo trimestre do ano por conta do terremoto que atingiu o Japão em 11 de março.

REUTERS

26 de abril de 2011 | 18h56

Entretanto, a companhia informou em comunicado que está monitorando os impactos do terremoto sobre os seus fornecedores, "e, até o momento, não identificou impactos significativos que possam alterar as entregas planejadas para o ano de 2011."

A companhia informou ainda que o impacto que será visível no segundo trimestre será "plenamente compensado" nos trimestres seguintes e que a meta de receitas para o ano está mantida.

Para 2011, a empresa estima receita de 5,60 bilhões de dólares, avanço de cerca de 5 por cento sobre o ano passado e meta que foi considerada conservadora por analistas.

Em 31 de março, o presidente da empresa, Frederico Curado, afirmou durante o Reuters Latin American Investment Summit que a Embraer e todo o setor aeronáutico acompanham com atenção os desdobramentos do terremoto e tsunami, já que há relevantes fornecedores da indústria no país asiático.

(Por Carolina Marcondes)

Tudo o que sabemos sobre:
AEREASEMBRAERJAPAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.