TIM contrata Ericsson e PricewaterhouseCoopers

A TIM informou nesta quarta-feira, em nota à imprensa, que contratou a Ericsson e a PricewaterhouseCoopers para apurar e esclarecer os indícios do relatório da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) que sugere quedas de chamadas dos clientes Infinity motivadas por ação deliberada da companhia.

AE, Agencia Estado

28 de novembro de 2012 | 20h21

Segundo o comunicado da TIM, o trabalho da Ericsson destaca que: "Segundo as avaliações, escopo deste trabalho, a Ericsson pode seguramente afirmar que não existem evidências levantadas nas Centrais Telefônicas e Solução de Rede Inteligente Ericsson que indiquem formas propositais ou intencionais de promover desconexões na rede SMP da TIM." Além disso, acrescenta que não há qualquer evidência de que a taxa de queda de chamadas seja da ordem de 24%.

O resultado alcançado pela metodologia adotada pela Ericsson quanto ao cálculo da taxa no dia 08 de março de 2012 - objeto de estudo do relatório da Anatel - foi de 2,09%. O dado está em linha com o resultado de 2,04% gerado internamente pela TIM e que foi confirmado pela PricewaterhouseCoopers por meio de um relatório de Procedimentos Previamente Acordados (PPA).

Os dois estudos foram concluídos recentemente e apresentados à Anatel, como contribuição para o trabalho que a agência está finalizando para esclarecer a questão.

Ainda segundo a TIM, as conclusões ratificam a afirmação feita pela operadora anteriormente, negando práticas ilícitas e manobras contrárias à premissa de transparência no relacionamento com seus clientes. A companhia reafirma seu compromisso com a prestação de serviços com qualidade, transparência e, sobretudo, idoneidade com os consumidores.

Tudo o que sabemos sobre:
TIMEricsson

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.