TIM espera investir R$ 1,5 bilhão em sua rede 4G

A TIM prevê um investimento em torno de R$ 1,5 bilhão com a adoção da nova tecnologia 4G, cujo serviço está disponível a partir desta terça-feira, 30, nas cidades-sede da Copa das Confederações. Em teleconferência com analistas e jornalistas, o presidente da operadora, Rodrigo Abreu, lembrou que o valor a ser desembolsado para o desenvolvimento dessa tecnologia pode aumentar caso necessário no futuro.

MÔNICA CIARELLI, Agencia Estado

30 de abril de 2013 | 16h04

Para operar no sistema 4G a TIM fechou com o Grupo Oi um acordo para compartilhamento de infraestrutura. Segundo Abreu, a estratégia irá permitir uma economia importante de desembolsos para a companhia, mas preferiu não abrir a cifra, calculada pela Oi em cerca de R$ 200 milhões, para suas próprias atividades.

Durante teleconferência para comentar os resultados da operadora no primeiro trimestre, Abreu disse que a inovação vai continuar pautando as ofertas e promoções da TIM. Segundo ele, o momento atual do mercado de telefonia no País vai influenciar no potencial de agressividade das ofertas do setor.

Em seu primeiro contato com jornalistas, Abreu destacou que a melhoria na qualidade de rede é prioridade para a companhia e admitiu que o crescimento acelerado do número de clientes da TIM criou uma maior demanda por infraestrutura nas atividades da operadora no país.

Segundo ele, a meta é chegar até o final de 2013 com 47 mil quilômetros de fibra ótica própria. Hoje, a companhia tem 40 mil km. Além disso, o foco no setor motivou a criação de uma sala de comando para monitorar a implantação do plano de rede. O objetivo é acompanhar passo a passo as atividades para verificar se o alto investimento no setor vai trazer bons resultados para o cliente. "Essa abordagem de guerra já começa a surgir efeito", afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
TIM4Ginvestimentos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.