Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

TIM quer reduzir custo da folha de pagamento em R$ 100 mi

Presidente da companhia não confirmou o rumor de que os cortes poderiam atingir até 1 mil empregos

Fernando Nakagawa, correspondente, O Estado de S.Paulo

16 Fevereiro 2016 | 19h06

LONDRES - A operadora TIM Brasil iniciará um processo de corte de despesas trabalhistas que pretende reduzir a folha de pagamento em R$ 100 milhões por ano. O presidente da TIM Brasil, Rodrigo Abreu, ressalta que a companhia não tem uma meta estabelecida com um número de postos de trabalho, mas a intenção é reduzir um valor da folha de pagamento. O executivo não confirmou o rumor de que os cortes poderiam atingir até 1 mil empregos.

"Deixa enfatizar que nós não estamos fazendo um plano de corte de empregos. O que estamos fazendo é um muito amplo plano de aumento de eficiência incluindo processos de reengenharia, na eficiência da infraestrutura e mais controles", disse o executivo durante entrevista coletiva após a apresentação aos investidores na capital britânica.

"Não há meta de corte de empregados ou corte de postos de trabalho. O que teremos é, entre internos ou externos, redução de cerca de R$ 100 milhões por ano. Nós temos uma grande força de trabalho e gastos elevados em impostos e contribuições sociais", disse.

Rumores no mercado citam que o plano poderia ter até 1 mil empregados demitidos, mas Abreu não confirmou o número. "Não posso confirmar porque não há uma meta estabelecida", disse ao Broadcast após a entrevista.

Durante a entrevista coletiva, Abreu não detalhou a ação, nem quis avançar sobre quais áreas da companhia serão afetadas pelos cortes. "Nós estamos fazendo uma análise de terceirizados e empregos internos", se esquivou, ao comentar que a folha de pagamento é "particularmente afetada pela inflação". 

Mais conteúdo sobre:
TIM Telefonia Emprego

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.