Time Warner vai cortar 600 em plano de demissão voluntária

O alvo são os funcionários do sistema Turner Broadcasting com mais de 55 anos que terão completado 10 anos ou mais de serviços prestados à empresa até o final de 2014

Jonathan Mahler, The New York Times

27 de agosto de 2014 | 10h30

A divisão Turner Broadcasting System, da Time Warner, anunciou um plano de demissão voluntária para cerca de 600 funcionários, o primeiro passo num ambicioso esforço para reformar um portfólio de redes de TV a cabo que enfrentam queda na audiência num período de intensa concorrência pelos espectadores.

Dispensas e outras medidas de redução de custos virão em seguida, de acordo com um memorando interno anunciando os planos de demissão voluntária. "Levando-se em consideração o foco atual na redução de custos e a prioridade dos investimentos para maximizar o desempenho da empresa, a Turner também vai realizar reduções adicionais em sua equipe", dizia o memorando.

A jogada faz parte de uma iniciativa que começou com o diretor executivo da Turner, John Martin, com o objetivo de reverter o quadro da divisão até 2020, aniversário de 50 anos da Turner.

Conhecida como "Turner 2020", a iniciativa foi revelada no início de junho, mas ganhou urgência este mês quando a Time Warner recusou uma oferta de aquisição feita pela 21st Century Fox que levou o preço de suas ações a subir consideravelmente. A Time Warner precisa agora provar aos investidores que pode reforçar e empresa - e elevar ainda mais o preço das ações - sem a ajuda de Rupert Murdoch.

Além de cortar custos, a Turner pretende redistribuir recursos para se concentrar nas áreas que apresentam crescimento, incluindo a transmissão de esportes ao vivo e parte do conteúdo original produzido pela própria divisão.

Entre as emissoras que serão afetadas pelas demissões voluntárias e dispensas estão CNN e HLN. O diretor executivo da CNN, Jeff Zucker, indicou que faria cortes numa conferência acompanhada por toda a emissora na semana passada. "Teremos de fazer nosso trabalho com menos", disse ele.

O futuro da HLN é incerto. A Time Warner continua em negociação com a Vice Media em busca de um acordo que daria à Vice o controle da emissora ou permitira que as duas empresas a operassem como joint venture.

Os planos de demissão voluntária serão oferecidos a cerca de 6% dos funcionários da Turner nos Estados Unidos. O alvo são os funcionários com mais de 55 anos que terão completado 10 anos ou mais de serviços prestados à empresa até o final de 2014.

Entre os outros canais da Turner estão TNT e TBS, detentores de uma série de valiosos eventos esportivos, como os direitos de transmissão dos jogos da Associação Nacional de Basquete (NBA) e do campeonato universitário de basquete masculino (NCAA). Tradução de Augusto Calil

Tudo o que sabemos sobre:
CNN

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.