Total interrompe produção de óleo no Mar do Norte após vazamento

A Total UK fechou a produção de petróleo e gás da plataforma Elgin/Franklin no Mar do Norte e evacuou seu pessoal após um vazamento de gás no domingo, disse a empresa.

KAROLIN SCHA, REUTERS

26 de março de 2012 | 16h29

"A produção parou", disse a Total UK nesta segunda-feira, acrescentando que todos os 238 funcionários tinham sido contabilizados e nenhum ferido havia sido notificado.

A empresa não foi capaz de prever quando a produção da plataforma será retomado, o que um porta-voz disse que provavelmente não seria em breve.

"O vazamento de gás na Plataforma Chefe Elgin Bem continua em curso, e estamos tomando todas as medidas possíveis para tentar identificar a fonte e a causa do vazamento e para trazê-lo sob controle," Total UK, disse em um comunicado.

Um vôo de vigilância na aérea confirmou que houve uma leva mancha de óleo na água, detectada perto da plataforma, e uma aeronave transportando dispersante foi em modo de espera no aeroporto de East Midlands.

A capacidade de produção máxima para o campo Elgin/Franklin é de 280 mil barris de petróleo equivalente por dia, 175 mil barris por dia de condensado e 15,5 milhões de metros cúbicos de gás por dia (mcm/d), de acordo com a Total.

A causa do vazamento ainda era desconhecida e as investigações estavam em andamento, disse a Total.

Na manhã de segunda-feira, 150 funcionários não essenciais foram evacuados para Aberdeen e mais 69 funcionários foram trazidos para instalações offshore vizinhas.

O óleo produzido na unidade é exportado através do Sistema Forties Pipeline, operado pela BP para Kinneil, na Escócia e fluxos de gás através do gasoduto SEAL, para Bacton em Norfolk.

O fluxo de gás através do terminal Bacton SEAL caiu cerca de 10 (mcm/d) para 7 mcm/d no início da segunda-feira, segundo mostraram os dados fornecidos pelo UK National Grid.

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAVAZAMENTOTOTAL*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.