Toyota e GM convocam recall de veículos

No total, serão quase 95 mil carros da Toyota, com problemas no airbag, e 8 mil da GM, com defeito na tubulação do fluído do freio

Gustavo Porto, da Agência Estado,

11 de abril de 2014 | 12h25

RIBEIRÃO PRETO - A Toyota do Brasil anunciou nesta sexta-feira, 11, o recall de 94.992 veículos modelos Hilux e SW4, produzidos entre junho de 2005 e janeiro de 2011, e RAV4, fabricado entre agosto de 2005 e março de 2010, todos por problemas no cabo de conexão do airbag. Já a General Motors convocou 7.797 Chevrolet Tracker LTZ Automático produzidos entre 4 de junho de 2013 e 13 de fevereiro de 2014 por conta de problemas na tubulação do fluido de freios.

A campanha da Toyota atinge 67.498 picapes Hilux, 22.341 unidades do utilitário esportivo SW4 e 5.153 unidades do também utilitário esportivo RAV4. Segundo o comunicado da montadora, foi detectada uma falha no componente (um conjunto do cabo espiral) de conexão entre o módulo de comando do sistema de airbag e o conjunto da bolsa do airbag do lado motorista. A falha pode fazer com que o sistema de segurança não seja acionado, caso ocorra um acidente.

"Como implicação da não deflagração do airbag há o aumento do risco de ferimentos graves na região torácica e facial e, em casos extremos, lesões fatais ao motorista do veículo". Segundo a montadora, se a luz de advertência do airbag permanecer acesa com o veículo em movimento ou por um período superior a seis segundos após o acionamento do motor, o proprietário "deverá, imediatamente, submeter o seu veículo à inspeção de um concessionário autorizado Toyota para a execução do reparo".

Além dos veículos que precisam ser reparados imediatamente por conta do acionamento da luz de advertência, a Toyota iniciará, a partir de 1º de julho, a inspeção e, se necessária, a substituição preventiva do componente. Os agendamentos devem ser feitos na rede de concessionárias da marca, cujos endereços e telefones estão no www.toyota.com.br. A montadora disponibilizou ainda o telefone 0800-703-0206.

Tracker. Já os veículos Tracker LTZ Automático, da GM, apresentaram problemas na tubulação dianteira de freios no processo de montagem, o que pode causar a deformação e um posicionamento irregular do equipamento. Com isso, pode ocorrer o vazamento do fluido de freio com o rompimento da tubulação após o atrito com um parafuso de fixação de uma mangueira de refrigeração da transmissão automática.

Segundo a GM, há a possibilidade da "perda da capacidade de frenagem do veículo, com risco de acidente e lesões graves e até fatais aos ocupantes e terceiros". A montadora colocou o telefone 0800-702-4200 e o site www.chevrolet.com.br para que os proprietários possam ter mais informações. O reparo deve ser feito com agendamento prévio na rede de concessionárias e oficinas autorizadas Chevrolet.

Tudo o que sabemos sobre:
ToyotaGMrecall

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.