Trabalho infantil faz Samsung interromper compra de fornecedor

A gigante de eletrônicos da Coreia do Sul suspenseu contrado com empresa da China após adenúncia de ONG

EFE

14 de julho de 2014 | 08h12

SEUL - A Samsung anunciou nesta segunda-feira, 14, que interrompeu temporariamente o acordo com um fornecedor da China por causa de uma denúncia de que a empresa utiliza mão de obra infantil em sua linha de produção.

 Na semana passada, a organização sem fins lucrativos China Labor Watch acusou a empresa sul-coreana de fazer vista grossa ao uso do trabalho infantil por parte do fornecedor Shinyang Electronics, que produz algumas peças de celulares para a Samsung na fábrica em Dongguan, na China.

Após a denúncia, a Samsung informou que realizou uma investigação independente e que encontrou evidências de contratações ilegais de menores por parte da Shinyang Electronics e que por isso estava cortando relações temporariamente com a empresa.

"As autoridades chinesas também estão investigando para o caso", relatou a Samsung em um comunicado, acrescentando que "se as investigações concluírem que a Shinyang de fato contratou crianças ilegalmente, irá parar permanentemente negócio com o empresa". 

Tudo o que sabemos sobre:
Trabalho infantilSamsung

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.