Trading estima queda de 20% na produção de café arábica

São Paulo, 21 - A trading Mercon Coffee Corporation estima que a safra brasileira 2005/06 de arábica deve apresentar redução irreversível de cerca de 20%, para entre 26 milhões e 27 milhões de sacas de 60 kg. A empresa estima que no sul de Minas a redução pode alcançar 30%. A avaliação da trading tem como base visita às regiões produtoras, de 11 a 13 de outubro, partindo de Guaxupé, para Varginha, Muzambinho, Monte Belo, Ariado, Alfenas, Campos Gerais, Cajuru, Boa Esperança e Três Pontas. Conforme relatório da empresa, não há dúvidas de que as chuvas restabeleceram, em parte, a vitalidade dos pés de café, que se mostravam estressados na visita anterior, de 21 a 25 de agosto. No entanto, essas chuvas podem ter representado apenas uma esporádica melhor cobertura de folhas nas plantas mais velhas. Portanto, poucas dessas plantas serão capazes de produzir a segunda florada, a mais importante, no mesmo nível dos pés novos. A Mercon admite, ainda, que a visita foi curta. No entanto, notou-se que os produtores têm realizado a poda drástica de plantas mais velhas, na esperança de que a regularidade das chuvas possa revitalizá-las para futuras colheitas. "Se o cafeicultor tem dúvida sobre a capacidade de produção de plantas velhas, a poda é feita porque a colheita não é viável economicamente". A empresa, no entanto, diz que estimar o porcentual de plantas podadas é difícil e especulativo. A Zona da Mata mineira, segundo a Mercon, é uma das poucas regiões a apresentar modificação significativa, em relação à visita de agosto. O vigor das plantas foi recuperado pelas chuvas e a expectativa é de que a colheita de 2005/06 repita o desempenho deste ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.