Transgênicos: Lula despacha hoje com Marina Silva, às 17 horas

Brasília, 27 - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva despacha hoje, às 17 horas, com a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, e, às 18 horas, preside reunião da Junta Orçamentária. Antes disso, ele tem um despacho interno, às 15 horas, e preside uma reunião de coordenação, às 15h30. Durante esta semana, o presidente deve continuar sofrendo pressão para baixar, logo, uma medida provisória autorizando o plantio de soja transgênica, também na safra 2004/2005, a exemplo do que ocorreu na semana passada. Lula vinha resistindo à tomada dessa decisão. Mas o período de plantio já chegou, e os produtores não conseguem financiamento para a safra se não houver uma autorização legal para plantio dessa soja. A ministra do Meio Ambiente, com a qual Lula despachará à tarde, é partidária de deixar o assunto para ser resolvido pelo Congresso. O problema é que não haverá, no Senado, onde o projeto da Lei de Biossegurança - em que a questão da soja está inserida - tramita, quórum para votação da matéria antes das eleições de 3 de outubro. E, mesmo que o Senado aprove o projeto, ele terá que voltar à Câmara dos Deputados, pois o texto anteriormente aprovado por aquela Casa sofreu modificações no Senado. Diante de pressões, como a do governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto (PMDB), a quem recebeu na semana passada, o presidente já admitiu que poderá baixar a MP, desde que ela contenha exatamente o acordo fechado entre as lideranças partidárias no Senado, favorável à autorização do plantio da soja geneticamente modificada. Já a Junta Orçamentária, que voltará a se reunir hoje e reúne, entre seus integrantes, os ministros da Fazenda, Antonio Palocci, do Planejamento, Guido Mantega, e da Casa Civil, José Dirceu, reúne-se pela segunda semana consecutiva. Em sua reunião da semana passada, decidiu aumentar o superávit primário da 4,25% para 4,5% do PIB, este ano.

Agencia Estado,

27 de setembro de 2004 | 10h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.