Transgênicos: Monsanto espera concluir acordos antes da safra

Esteio, 2 - O diretor de marketing da Monsanto, Felipe Osório, disse hoje que a expectativa da companhia é concluir as negociações para cobrança de royalties dos produtores de soja na Argentina e no Paraguai antes da próxima safra. A Argentina já pagou anteriormente pelo uso da tecnologia, mas o índice de sementes multiplicadas nas propriedades - que não recolhem royalties - chega a 80% da lavoura, descreveu o executivo, que está em Esteio (RS) participando da 27ª Exposição Internacional de Animais, Máquinas, Implementos e Produtos Agropecuários (Expointer). A estratégia da Monsanto, explicou Osorio, é legalizar a cobrança nos países em que o plantio já tem acontecido. Na Argentina, já foram liberadas as variedades de milho RR e BT, algodão BT e soja RR, lembrou o executivo. Ele evitou fazer uma comparação entre o valor do royalty nas diferentes culturas, explicando que em cada uma a avaliação é diferente, já que elas têm funções diversas - resistência a herbicida, no caso da soja, e a pragas, no milho. Por isso, o valor de cada tecnologia também é diferente, observou. Ao avaliar a publicação do acórdão da 5ª Turma do Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região, de Brasília, sobre os transgênicos, Osorio reforçou o entendimento da Monsanto de que a Lei de Biossegurança de 1995 (8.974) está em vigor. "Ficou claro que ela está vigente", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.