Estadão
Estadão

Tribunal nos EUA aprova acordo de US$ 14,7 bilhões entre Volkswagen e clientes

Motoristas poderão vender seus carros de volta à Volkswagen ou esperar a aprovação de um conserto que prevê pagamento adicional de até US$ 10 mil

Dow Jones Newswires

25 de outubro de 2016 | 16h56

Um tribunal dos Estados Unidos aprovou nesta terça-feira, 25, o acordo de US$ 14,7 bilhões entre a Volkswagen e seus clientes e agências do governo que pretende tirar 475 mil veículos movidos a diesel das estradas do país. O acordo oferece aos motoristas as opções de vender de volta os carros à Volkswagen ou esperar por um conserto aprovado pelo governo, e prevê também pagamento adicional em dinheiro que vai de US$ 5,1 mil a US$ 10 mil por pessoa.

O acordo foi feito após a montadora admitir que instalou dispositivos em veículos movidos a diesel com o propósito de enganar os testes de emissão de poluentes, permitindo que os carros gerassem resíduos acima do permitido por lei. Segundo o diretor executivo da companhia no continente americano, Hinrich Woebcken, a aprovação do acordo "é um marco importante na nossa jornada para acertar as coisas nos Estados Unidos". 

A promotora que representa os consumidores americanos, Elizabeth Cabraser, disse estar satisfeita com a aprovação de um "acordo histórico que pune a Volkswagen pelo seu comportamento ilegal e quebra de confiança". 

As concessionárias de todo o país podem agora negociar com os consumidores para comprar de volta os veículos, que incluem Jettas, Golfs, Passats, Beetles e Audi A3 cuja data de fabricação remete até 2009. De acordo com Cabraser, a maioria de seus clientes parecem preferir vender de volta os carros a esperar por um reparo que pode ter impacto negativo na performance do veículo. 

Os consumidores têm até setembro de 2018 para decidir o que fazer. A Volkswagen terá de pagar multas caso 85% dos veículos afetados não tenham sido retornados ou consertados até junho de 2019. 

Tudo o que sabemos sobre:
Estados UnidosVolkswagenAudi A3

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.