Trigo: com aumento da safra, China deve reduzir importação em 2005

São Paulo, 11 - As importações de trigo da China em 2005, apesar de elevadas, não vão atingir os níveis registrados em 2004 por conta da melhora na produção doméstica, disseram analistas nesta quinta-feira. Recentemente o governo chinês estimou a produção de grãos em 455 milhões de t, acima das 431 milhões de t de 2003. No caso do trigo, deve ultrapassar 91 milhões de t, ante 86,5 milhões de t em 2003. A China planeja expandir a área plantada para 22,7 milhões de hectares durante o plantio de inverno de 2004, aumento de 666.600 hectares no ano. "A melhora da safra neste ano, mais o aumento da produção esperado em 2005, deve diminuir a pressão sobre o mercado de trigo", disse um analista do Centro Nacional de Informação de Óleos e Grãos da China. Segundo este analista, a demanda por trigo em 2004/05 deve ser de mais de 100 milhões de t. Ele, no entanto, não divulgou o volume dos estoques do país. Mas há rumores no mercado de que os estoques caíram para o seu menor nível nos últimos anos. No mercado interno da China, há uma menor oferta de trigo. Com isso, os preços da commodity subiram no país 37,7% no terceiro trimestre de 2004, em comparação com o aumento médio de 35,1% nos preços de grãos, de acordo com dados do Escritório Nacional de Estatísticas da China. Segundo analistas do mercado, as importações da China aumentaram este ano, principalmente por causa isenção do imposto de 13% sobre o valor das importações, inicialmente por dois meses, e posteriormente ampliada até o final do ano. A medida foi adotada em abril para atender à forte demanda interna. Segundo os dados da alfândega, nos primeiros nove meses deste ano a China importou 4,97 milhões de t, contra 3,09 milhões em mesmo período do ano anterior. As exportações de trigo no mesmo período recuaram 51% para 658.731 t, contra 1,34 milhão em mesmo período em 2003. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.