Washington Post photo by Jabin Botsford.
Washington Post photo by Jabin Botsford.

Trump suspende voos com modelo da Boeing envolvido em acidentes

Decisão do presidente dos Estados Unidos foi anunciada um dia depois de a União Europeia fechar seu espaço aéreo para o modelo 737 Max 8, da Boeing

Gabriel Bueno da Costa, O Estado de S.Paulo

13 de março de 2019 | 16h03

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta quarta-feira, 13, que seu país também decidiu manter em terra os modelos 737 MAX 7 e 8 da Boeing, após um acidente no domingo com uma dessas aeronaves da empresa no domingo na Etiópia. Segundo Trump, a Boeing é uma "grande empresa", mas a decisão já foi comunicada a companhias e a pilotos. O presidente americano disse ainda que o órgão regulador do espaço aéreo dos EUA fará um anúncio nesta tarde detalhando a medida.

A decisão do presidente americano ocorre mesmo após declaração dada mais cedo pelo chefe da Administração Federal de Aviação (FAA, na sigla em inglês), Daniel Elwell, afirmando que não há motivos para impedir a operação com o modelo."Até o momento, nossa análise não revela problemas de funcionamento sistêmico e não fornece qualquer base para determinar a paralisação destas aeronaves", havia afirmado o chefe da FAA.

Na terça-feira, a União Europeia fechou seu espaço aéreo para voos envolvendo o Boeing 737 Max 8. Antes disso, diversos países do bloco, como Alemanha, Áustria, França, Itália e Reino Unido, haviam suspendido as operações do Max 8. A mesma iniciativa tinha sido adotada por Austrália, China, Indonésia, Malásia e Cingapura.

O modelo produzido pela Boeing protagonizou dois acidentes fatais em questão de meses: em outubro de 2018, um avião da Lion Air, da Indonésia, caiu e deixou 189 mortos. No fim de semana, a queda de um voo da Ethiopian matou 157 pessoas.

No Brasil, a Gol anunciou na segunda-feira, 11, a suspensão das sete aeronaves Boeing 737 Max 8 que estavam em operação no País. A companhia é a única empresa nacional que utiliza o modelo. Um total de 68 companhias ao redor do mundo utilizam o 737 Max, da Boeing.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.