UE decide hoje desconto em títulos da Grécia

Ainda não há consenso de qual será o porcentual que as instituições privadas deverão abrir mão

Álvaro Campos, da Agência Estado,

26 de outubro de 2011 | 08h54

Os líderes da União Europeia vão decidir na noite de hoje (no horário da Bélgica) se será possível anunciar o tamanho do desconto no valor dos bons da Grécia (haircut) detidos por credores privados, além da forma de alavancagem da Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês), segundo afirmou Olivier Bailly, porta-voz da Comissão Europeia (braço executivo da UE).

"Os líderes vão decidir hoje à noite o que é o que é adequado e possível anunciar", disse Bailly durante uma coletiva de imprensa regular. Os líderes da UE e da zona do euro vão se reunir hoje em Bruxelas para tentar chegar a um acordo sobre o plano para responder à crise da dívida na região. "Nós precisamos de um acordo nesta noite, precisamos de um plano político", acrescentou o porta-voz.

Ainda não há consenso sobre o tamanho do desconto no valor dos bônus gregos (haircut) detidos por investidores privados. A Alemanha pressiona por um corte de 60%, enquanto a França insiste que o desconto não pode ser muito maior do que 40%, no que tem o apoio dos bancos.

Troca de títulos

O plano para reduzir a dívida da Grécia na mão de credores privados envolveria a troca dos atuais bônus soberanos do país por uma mistura de dinheiro e novos bônus de 30 anos, segundo divulgado hoje pelo jornal local Kathimerini.

De acordo com a publicação, cada 100 euros em bônus gregos seriam trocados por 15 euros em dinheiro e o equivalente a 35 euros em um novo bônus de 30 anos, que pagará um cupom (juro nominal) de 6%. Citando oficiais da União Europeia, o jornal afirmou que o plano foi apresentado para os banqueiros gregos ontem pelo ministro de Finanças, Evangelos Venizelos.

Como resultado do plano, a dívida grega na mão de investidores privados cairia de 205 bilhões de euros para aproximadamente 102,5 bilhões de euros. Entretanto, o jornal afirma que os valores da troca ainda podem ser alterados, dependendo das decisões finais da cúpula da UE hoje.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
AlemanhadívidaGrécia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.