UE deve aprovar segunda semente transgênica em 15 anos

Em reunião em Bruxelas, 19 das 28 nações do bloco se opuseram à aprovação do organismo geneticamente modificado, uma semente de milho desenvolvida pela DuPont

Agência Estado,

12 de fevereiro de 2014 | 11h14

BRUXELAS - A União Europeia deve aprovar o plantio da segunda variedade de semente transgênica em 15 anos, apesar da oposição da maioria dos países-membros do bloco. Em reunião ministerial em Bruxelas na terça-feira, 19 das 28 nações do bloco se opuseram à aprovação do organismo geneticamente modificado, uma semente de milho desenvolvida pela DuPont e conhecida pelo nome 1507. Pelas regras de biotecnologia do bloco, no entanto, essa maioria não é suficiente para impedir que a Comissão Europeia, braço executivo da UE, aprove a semente.

A UE possui as regras mais duras do mundo contra o cultivo e importação de transgênicos devido à resistência da população a esses organismos em vários países. Por isso, algumas empresas do setor desistiram da Europa. A Monsanto, por exemplo, anunciou no ano passado que estava retirando todos os pedidos de aprovação para plantio de suas sementes dentro da UE.

Atualmente, o único transgênico cujo plantio é autorizado na UE é uma semente de milho da Monsanto resistente ao verme conhecido como broca. A aprovação ocorreu em 1998. A DuPont tentou obter aprovação para a 1507 em 2001. Agora, após várias avaliações científicas positivas e pareceres jurídicos criticando os atrasos, a Comissão Europeia parece estar próxima de autorizar a semente.

Tonio Borg, o comissário encarregado da questão, disse que a comissão tem a obrigação de aprovar a 1507, mas não forneceu um cronograma.

A semente "atende a todas as exigências regulatórias da UE e deveria ser aprovada para plantio sem mais atrasos", disse a DuPont em comunicado. Fonte: Dow Jones Newswires.

Tudo o que sabemos sobre:
União Europeiatransgênicos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.